Setor de eventos passa por grande crise devido à pandemia do coronavírus

Setor de eventos passa por grande crise devido à pandemia do coronavírus

Divulgação

A pandemia e o isolamento social  trouxeram  prejuízo e dificuldades econômicas  para vários setores, dentre eles, os casamentos e realizações de eventos. De acordo com  levantamento realizado em  abril  pelo Sebrae  (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), a pandemia do  coronavírus  afetou 98% do setor de eventos. Para entender mais sobre esse impacto, a redação do O Novo conversou com Bruno  Dourado, que é celebrante de cerimônias personalizadas de casamentos, bodas, batizado, aniversários e formaturas. Além disso, também atua como terapeuta, atendendo pessoas e casais, utilizando técnicas de meditação  para tratar traumas e bloqueios e desequilíbrios emocionais.

O celebrante conta que as cerimônias têm passado por algumas adaptações durante esse período, devido à segurança e saúde de todos ‘‘Aqueles que não quiseram adiar os seus planos, optaram por fazer cerimônias e celebrações mais intimistas, com poucas pessoas e em espaços bem mais reservados. Mini weddings, que já são uma grande tendência, foram uma das melhores alternativas neste momento’'.

Segundo o especialista, o número de casamentos diminuiu bastante, pois muitas pessoas escolheram prorrogar, ou até mesmo se casar só no cartório por enquanto, havendo até mesmo casamentos com transmissões online. ‘‘Creio que o maior desafio é  conciliar este grande momento de festividade, confraternização, alegria e celebração com as medidas de segurança, de afastamento social e uso de  máscaras. Muitos casais têm recomendado aos convidados que façam o máximo de resguardo possível nos dias que antecede a cerimônia e que realizem o teste do Covid-19 também’’, diz.

Além de tornar tudo mais difícil em um momento tão especial para o casal, a pandemia também causou muitos impactos financeiros  nesse setor ‘’Há  aproximadamente 43 cadeiras econômicas ligadas a esse setor, como os promotores de eventos, agências, assessorias, montagens e estruturas decoração, buffets, garçons, atendentes, seguranças, iluminação, músicos e celebrante. Muitos prejuízos financeiros e desempregos nesse setor’’.

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira dos Promotores de Eventos  (Abrape) apontou que antes do início da pandemia, o setor de eventos empregava em torno de 1,8 milhões de profissionais diretos e terceirizados no Brasil. Com o cancelamento dos eventos, mais de 240 mil pessoas perderam os seus empregos.

‘‘O futuro ainda é incerto, mas temos esperança de que em breve poderemos retornar com mais segurança  as nossas atividades e com muita alegria, realizando a união de muitos casais e propagando amor, afinal é disto que a humanidade está mais precisando neste momento’’, finaliza o celebrante.