Faltam apenas 7 dias para a Black Friday

Especialistas orientam sobre como aproveitar os melhores preços e promoções sem prejudicar o bolso do consumidor

Divulgação

Uma das datas mais importantes para o comércio e muito aguardada pelos consumidores - e pelos vendedores -, a Black Friday, tradicional dos Estados Unidos, tem ganhado cada vez mais espaço no calendário do varejo brasileiro. A data (dia 26 de novembro), que abre as portas para as contratações temporárias de fim de ano, também serve de amostra para as vendas de Natal, em dezembro.

Logo no começo deste mês, muitos estabelecimentos começaram a divulgar promoções especiais, entretanto, é necessário cautela para realmente aproveitar a data e não sair no prejuízo.

Para a consultora financeira Silva Machado, é importante não se deixar levar pela euforia das promoções e planejar bem antes de ir às compras. “Eu sempre sugiro que primeiro seja feita uma lista das coisas que você precisa. Isso evita que se gaste muito em outras coisas”, explica. 

“Além disso, cabe fazer a pesquisa dos valores antecipadamente, para não cair na famosa ‘maquiagem de preço’, comprando um produto pela metade do dobro - do preço normal”, conta a dra. Eduarda Chaves, especialista em contratos.

Ainda segundo dra. Eduarda, nessa época, um hábito que deve ser deixado de lado é a pechincha, famosa característica do consumidor brasileiro. Para ela, não ter a qualidade em mente e levar somente o preço mais baixo em consideração pode acarretar em mais problemas futuramente. “Durante a Black Friday, esse hábito pela busca incessante do menor preço pode não ser a melhor ideia, pois existem vários sites criados especialmente nessa época para fazer ‘falsas vendas’ e o consumidor pode ser vítima de um golpe”, conta a especialista.

Em relação às vendas online, Silvia também dá destaque a dois importantes aspectos do e-commerce: o prazo de entrega e o frete. “Estamos a menos de 40 dias do Natal. A partir de 15 de dezembro, os Correios ficam lotados, eu, por exemplo, mais de uma vez, comprei em novembro e recebi o produto em janeiro”, relata. “Outro detalhe importante é o frete. Faça a simulação até o final, porque, dependendo do produto, pode até ser mais barato, mas o valor total acaba ficando mais caro”, completa.

Por fim, a principal recomendação de ambas as especialistas é em relação à segurança. De acordo com a dra. Eduarda, as compras devem ser realizadas somente em aparelhos de celular pessoais, nunca emprestados ou públicos, como os de lan houses. “Além disso, conferir se a página é real, pois a internet está cheia de webpages clones de grandes magazines. O consumidor deve ter certeza de que o site é seguro para digitar seus dados, principalmente os de cartão de crédito”, instrui.

“A Black Friday está chegando e tem ótimas oportunidades sim; nem tudo é fraude. Tem muita gente que vendeu pouco e usa as promoções para tentar vender mais e gente que vendeu bem e quer zerar os estoques para repor por artigos novos. Black Friday existe por um motivo e é ajudar lojistas e consumidores,” destaca Silvia Machado.