Natasha Santos

Chat GPT no Direito

Natasha Santos

Publicado

há 8 meses

em

Chat GPT no Direito

Foto: Reprodução/Freepik

O Chat GPT, ou Chat Generative Pre-trained Transformer, trata-se de um assistente virtual no formato de chatbot com inteligência artificial, desenvolvido pela OpenAI, um laboratório de pesquisa norte-americano que estuda a inteligência artificial. Seu objetivo é promover e desenvolver mecanismos automatizados para que a inteligência artificial seja inclusa no cotidiano das pessoas de forma amigável, a fim de auxiliá-las.

O Chat GPT, em uma linguagem mais clara, trata-se de um transformador pré-treinado gerador de conversas, sendo um verdadeiro assistente virtual inteligente com formato de chatbot online, ou seja, o interlocutor trata os assuntos e as suas dúvidas diretamente com o assistente AI.

O assistente virtual foi lançado oficialmente em novembro de 2022 e no Brasil vem ganhando espaço agora em meados de 2023. O interessante do Assistente AI é que seu modelo de linguagem é ajustado ao seu próprio interlocutor, por exemplo: se o interlocutor utilizar uma linguagem mais formal, a busca se dará desse modo; caso se procure por algo informal, o resultado será de acordo com o buscado pelo interessado.

O modelo básico que foi ajustado foi o modelo de linguagem GPT-3.5 da OpenAI, uma versão gratuita e melhorada do GPT-3. No dia 15 de março de 2023, foi lançado somente para os usuários do Chat GPT Plus o GPT-4. O Chat GPT é um protótipo de inteligência que chamou a atenção por suas respostas detalhadas, embora a precisão das informações tenha sido criticada.

No Brasil, por exemplo, um advogado utilizou a assistência virtual do GPT e a busca não foi tão fiel quanto à realidade. Isso porque o advogado teria buscado uma jurisprudência para determinado caso e a resposta do Assistente AI trouxe o resultado de um julgamento que não existiu. Por isso, é importante entender que se trata de um produto assistencial com inteligência artificial e que demanda a supervisão de seu interlocutor.

Muito embora se diga que a ideia é de que o Chat GPT tenha o intuito de não ter fins lucrativos, esse pensamento se deu no período de 2015 a 2018. Já no ano de 2019, a transição foi alterada para se obter fins lucrativos.

Advogada pós-graduada em Direito administrativo e constitucional, Natasha Santos, 29 anos,  irá, semanalmente, escrever sobre diversos assuntos jurídicos.

Com passagem pela Câmara Municipal de Guararema e Câmara dos Deputados, em Brasília, atualmente trabalha em São Paulo, como advogada especializada em direito público e eleitoral.