Preço dos alimentos da ceia de Natal variam em até 122, 34% nos comércios do Estado

Levantamento foi feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção de Defesa do Consumidor do Procon de São Paulo

Procon- SP

De acordo com um levantamento feito entre dos dias 1º e 3 de dezembro, pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção de Defesa do Consumidor do Procon, os produtos que compõem a Ceia de Natal tem uma diferença de preço de até 122,34% entre os estabelecimentos de venda pesquisados.

“Entre os panetones/chocotones, um dos itens mais consumidos na época de Natal, a maior diferença foi de 65,45%. Os panetones frutas zero adição de açúcar e de gotas de chocolate zero adição de açúcar (400 g), ambos da Casa Suíça, foram encontrados a R$ 29,45 em um estabelecimento e R$ 17,80, em outro”, informou o Procon. Outra grande diferença foi encontrada no peru temperado, que custava R$ 48,87 em um estabelecimento e, R$ 21,98 em outro, diferença de R$ 26,89.

O levantamento foi de forma online, em sete sites de supermercados: Andorinha, Carrefour, Extra, Kanguru, Mambo, Pão de Açúcar e Sonda. Foram comparados os preços de 68 dos seguintes itens de diferentes marcas: azeites, bombons, carnes congeladas, lentilhas secas, conservas, farofas prontas, frutas em calda, panetones e chocotones.

Para comprar com consciência e economizando, o Procon dá as seguintes dicas: planeje o cardápio da ceia que deseja servir, listando todos os alimentos, bebidas e ingredientes que pretende utilizar, isso evita compras desnecessárias; pesquise os preços dos produtos levando em conta a oferta, a quantidade, a qualidade e sua preferência; estabeleça um limite para seus gastos, por exemplo, se um produto desejado estiver com preço muito elevado, verifique a possibilidade de o substituir por outro; não compre embalagens que estejam estufadas, amassadas ou enferrujadas, pois esses danos podem levar à contaminação dos produtos;  se o produto estiver vencido, não compre, reclame e denuncie o estabelecimento comercial; verifique as condições de higiene, iluminação, armazenamento e manuseio dos produtos, isso pode ajudar a evitar a compra de produtos deteriorados; por fim, se a compra for online, é importante ler todas as características dos produtos e, em caso de dúvidas, entrar em contato com o fornecedor antes de efetivar a compra, compre somente em sites confiáveis e desconfie de ofertas generosas.

Ainda sobre as compras, a Prefeitura de Guararema recomenda estabelecimentos locais: “mais do que escolher a praticidade de ter tudo perto da sua casa, evitando deslocamento desnecessário e exposição maior de contágio ao Covid-19, você valoriza o pequeno negócio”.