Mogi das Cruzes tem o primeiro munícipe vacinado na noite desta quarta-feira

Davi está na linha de frente da luta contra a Covid-19 e recebeu a aplicação da primeira dose no Hospital Municipal de Braz Cubas

Prefeitura de Mogi das Cruzes

A aplicação da primeira dose da vacina contra o coronavírus em Mogi das Cruzes foi realizada nesta quarta-feira, 20, por volta das 20h40 no Hospital Municipal de Braz Cubas. A primeira pessoa a receber a dose da CoronaVac no município foi o profissional da área de saúde, Davi Chaves de Oliveira, de 49 anos.

Chaves é servidor do Hospital Municipal desde 2018, e além de fazer parte da linha de frente, está no grupo de risco, pois possui doenças respiratórias crônicas, hipertensão e diabetes. O servidor estava ansioso para a vacinação  “A palavra é gratidão, a mim e a todos meus colegas”, o profissional também contou que não contraiu a covid-19, e explica que tomou todos os cuidados necessários e recomendados, além de enfatizar que o hospital sempre ofereceu segurança aos colaboradores 

O prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Pode), acompanhou o acontecimento inédito na cidade com muito prestígio, e emocionado falou: "É um momento histórico, eu agradeço de verdade a todos vocês. Que hoje seja um dia marcante na vida de todos mogianos e de todos os brasileiros”.

O secretário de saúde de Mogi das Cruzes, Henrique Naufel também estava presente no momento histórico para a cidade e pouco antes do fato contou suas expectativas “É o começo do fim, é muito importante para a região, muito importante para Mogi e para o país, estamos bastante confiante, ansiosos e felizes”. Naufel aproveitou o momento para agradecer a oportunidade que o prefeito concedeu para que ele continuasse o trabalho que vinha desempenhando ao lado do ex-prefeito, Marcus Melo, no qual também agradeceu pela confiança concedida.

Vacinação no município:

Mogi das Cruzes recebeu, inicialmente nesta quarta-feira, 20, 5.240 doses da CoronaVac, que serão destinadas ao grupo prioritário, que abrange respectivamente profissionais da saúde, indígenas, quilombolas e depois os idosos de acordo com a faixa etária (primeiro acima de 75 anos, segundo entre 70 e 75, depois entre 65 e 70 e por último de 60 a 65 anos).