Fundação Pró-Sangue orienta doação de sangue após vacinação

Devido à pandemia e as férias de início do ano, houve diminuição do número de doadores nos postos de coleta

Ainda no mês de janeiro, o Ministério da Saúde havia divulgada um Informe Técnico falando sobre os prazos de doação de sangue para as pessoas que foram imunizados contra a Covid-19. De acordo com o documento, o tempo de inaptidão para as pessoas que receberam a vacina é: 48 horas após cada dose da Coronavac (vacina da Sinovac/Butantan) e 7 dias após cada dose da Oxford (vacina da AstraZeneca/Fiocruz).

Atualizando as informações, a Fundação Pró-Sangue, atuante em todo o estado, indica protocolos importantes de serem seguidos para a doação de sangue no Brasil, sendo que um deles é incentivar as pessoas a doarem sangue antes de serem imunizadas.

Isto, levando em consideração o fato de as vacinas constituem um impedimento temporário para a doação.

Após o início da campanha de vacinação contra Covid-19, que atualmente imuniza idosos e profissionais da saúde, a Pró-Sangue incluiu os novos critérios de doação no protocolo de triagem dos candidatos.

“Nunca é demais reforçar que a doação de sangue continua sendo segura e não contraindica a vacinação. De qualquer modo, é importante que as pessoas estejam cientes sobre os períodos de restrição após a imunização”, afirma a instituição.

Devido à pandemia e as férias de início do ano, houve diminuição do número de doadores nos postos de coleta, o que é preocupante. Os hospitais e clínicas precisam de sangue para tratamento de pacientes diariamente.

A Pró-Sangue adotou diversas medidas de segurança aos candidatos a doador durante a pandemia. Para evitar aglomerações, foi implantado um sistema de agendamento online, além de protocolos de distanciamento social e disponibilização de álcool gel nos postos de coleta.