Procon de Mogi orienta sobre compras de Black Friday

Órgão alerta para possíveis golpes ou fraudes que consumidores possam sofrer nesse período

Arquivo

Com o mês de novembro, já começam a aparecer ofertas com descontos promocionais em produtos e serviços. É o aquecimento para a Black Friday, que acontece no dia 26 de novembro e conta com uma adesão crescente do comércio a cada ano, em especial, o comércio eletrônico.

A Black Friday começou no Brasil em 2010, e ganhou a atenção do mercado, pela oportunidade de excelentes negócios, tanto para o fornecedor que reduz a margem de lucro em cada produto, mas é compensado no volume de vendas, quanto para o consumidor que consegue economizar. 

Entretanto, é nessa época que fraudadores e oportunitas vêem oportunidades para aplicar golpes e roubar dados. Para evitar essas situações, o Procon de Mogi das Cruzes recomenda:

Tenha cuidado com fraudes

Desconfie de preços muito abaixo do mercado, ofertas tentadoras enviadas por e-mail, SMS ou anunciadas nas redes sociais, principalmente de lojas desconhecidas. A oportunidade de negócios atrai consumidores, mas também fraudadores e oportunistas.

Antes de comprar consulte a reputação da empresa: pelo site da Fundação Procon/SP -“Evite esses sites”, pelo www.consumidor.gov.br, ou pelo Reclame Aqui.

Fique de olho no preço

Entre as principais reclamações dos consumidores na Black Friday está a falta de cumprimento da oferta. O produto aparece com um preço, e na hora da conclusão da compra fica mais caro. Por isso é importante “printar” (copiar as telas), a cada etapa da compra, para ter direito de exigir o cumprimento da oferta pelo fornecedor, que fica vinculado ao que divulgou.

Não esqueça de verificar o custo final do produto, considerando o preço acrescido de juros. Os fornecedores devem se atentar ao planejamento, e revisar com cautela os preços dispostos para cada um dos produtos, para não ter que atender por um preço diferente do que pretendia.

Confira o histórico

Alguns fornecedores aumentam muito o preço dos produtos alguns dias, ou até 1 mês, antes da Black Friday, e oferecem uma redução ilusória no valor durante a promoção, e o consumidor paga o valor de mercado habitual.  

“O ideal é fazer a lista de produtos do que pretende adquirir, e começar a pesquisar o quanto antes, para que durante a Black Friday a pessoa tenha condições de avaliar se a compra é realmente vantajosa. As ferramentas de histórico de preço, disponíveis em sites de comparação, são muito úteis nessa tarefa. Se o consumidor verificar essa prática de maquiagem de preço, que é considerada abusiva, deve denunciar”, orienta a coordenadora do Procon de Mogi das Cruzes, Fabiana Bava.

Veja se não há acréscimos exagerados

Confira se o frete não está muito acima do valor habitualmente praticado.

Alguns fornecedores tentam induzir a erro o consumidor e divulgam preço bem baixo, mas com aumento abusivo no valor da entrega, e até com a inclusão de serviços não solicitados, como garantia estendida,então o tal desconto desaparece.

Prefira pela segurança na compra digital

Utilize computadores e celulares de uso pessoal para fazer a compra desejada. Verifique se a página apresenta segurança, o que pode ser indicado pelo antivírus que deve estar atualizado. Não efetive o negócio fora de plataformas específicas de pagamento, por exemplo, via Pix, pois essa tem sido uma das principais formas de aplicar golpes nos consumidores. Se optar pelo boleto, na hora de concluir o pagamento confira se o beneficiário é realmente a empresa de quem está comprando, se houver qualquer informação divergente não conclua.

Escolha bem a forma de pagamento

Prefira pagar com cartão de crédito, de preferência o cartão digital, assim a plataforma não irá registrar o número efetivo do seu cartão,mas apenas o número temporário informado no aplicativo do banco ou do cartão. Muitos consumidores reclamam pós Black Friday por serem surpreendidos com o cancelamento injustificado da compra, e tem que procurar o Procon para solicitar o ressarcimento, a compra no cartão facilita esse processo.