Empreendedores enfrentam dificuldades com o decreto do Estado e implantação da fase crítica em Mogi

Sincomérico e Associação Comercial tem tentado reverter a situação por meio do incentivo às vendas em delivery e drive thru que agora serão proibidas para alguns tipos de comércios em Mogi das Cruzes

Arte / O Novo

Após um novo enrijecimento das medidas de saúde e segurança para impedir o avanço da pandemia de Covid-19, diversos comerciantes têm sofrido por não conseguirem trabalhar presencialmente em seus comércios ou atingirem bons resultados por meio do formato de vendas delivery.


Este é o caso da microempreendedora Maria Cecilia Gomes, que trabalha no ramo de vestuário e possui um ateliê de peças de moda praia, lingerie e roupas em geral na cidade de Mogi das Cruzes. “A pandemia é algo complicado. No ano passado, quando ela começou, nós fomos obrigados a fechar e eu fiquei 90 dias com o ateliê fechado, tentando trabalhar via WhatsApp e redes sociais, mas mesmo assim, eu tive que me desfazer do meu carro para bancar as despesas”, afirma ela.


Para Gomes, a maior dificuldade do comerciante no momento é pagar o aluguel, isso, além de não receber mais o Auxílio Emergencial: “Até quando vou aguentar eu não sei, ano passado vendi o meu carro e agora não sei mais o que fazer para controlar a situação. Também não sei se a proprietária do imóvel vai conseguir fazer um acordo para abaixar o valor do aluguel”.


Pensando nos estabelecimentos, a Associação Comercial de Mogi das Cruzes exigiu durante a semana, a liberação da Zona Azul na Rua Doutor Deodato Wertheimer, em Brás Cubas, além disto, afirma que vagas de carga e descarga em toda a cidade serão liberadas para o drive-thru. “Bolsões para o recebimento das compras também funcionam na Rua Paulo Frontin, na área de calçadão da Rua Doutor Deodato Wertheimer e Rua Professor Flaviano de Melo, que foi aberta para passagem de veículos”, explica por meio das redes sociais.


Em complemento, o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), juntamente com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Mogi das Cruzes (CDL), a Associação Comercial e Empresarial de Suzano e as prefeituras está trabalhando na elaboração de um Plano Econômico que visa facilitar o pagamento das taxas municipais, inclusive tirando juros e multas.


“Prefeitura, Câmara Municipal, Sincomércio e ACE Suzano estarão solicitando aos órgãos competentes a inclusão de funcionários que realizam atendimento ao público junto aos grupos de prioridade de vacinação”, informa ainda o Sincomércio do Alto Tietê.