Empresa de Mogi fabrica cosméticos naturais que não agridem o meio ambiente

São várias opções de produtos que não são testados em animais; consumidora relata mudança de hábito na de comprar produtos de beleza

O consumo de cosméticos naturais, veganos e orgânicos conquista cada vez mais espaço e apoiadores. O mercado global orgânico de cuidados pessoais deverá atingir US$ 25,11 bilhões até 2025, segundo o relatório da Grand View Research. A mudança é reflexo de uma sociedade mais preocupada com os impactos ao meio ambiente e com a própria saúde. Isso porque, atualmente, a maioria dos produtos que chega às prateleiras é dermatologicamente testado em animais e pode conter aditivos químicos nocivos ao organismo. 

Nesta ‘onda do bem’ já há empresas que nasceram com o propósito de oferecer cosméticos naturais e que não testam em animais, proporcionando a beleza e os cuidados com a pele, em harmonia com o ambiente natural.

Esse é o caso da Candombá, empresa de Mogi das Cruzes, que foi desenvolvida com o intuito de oferecer produtos menos agressivos e que cuidem da pele. A idealizadora desse projeto é a cosmetologista de 22 anos, Thays Gonçalves.

Thays conta que a ideia de comercializar produtos naturais, surgiu por conta de uma alergia que ela tem, chamada dermatite atópica, provocada por exposição a irritantes ambientais, fragrâncias ou corantes adicionados a loções, sabonetes, entre outros. Ao longo do tempo, muitas pessoas sentiram interesse em usar os produtos que a jovem produzia, e foi quando ela decidiu abrir uma loja.

Hoje, Thays tem uma sócia, a Beatriz Gomes, 22, que é terapeuta holística e também se especializou na área. Juntas, as duas abriram um ateliê e comercializam diversos produtos naturais, que vão desde sabonetes e argilas a shampoo e condicionador em barra. 

Segundo as jovens, os cosméticos produzidos são receitas que elas aprenderam com químicos dentro dos cursos nos quais fizeram, e os insumos são naturais.

A questão do uso de animais em teste de cosméticos ganhou o olhar do público após a publicação do curta-metragem “Salve o Ralph”, que faz parte da campanha global promovida pela Humane Society International (HSI) para conscientizar e proibir os testes de cosméticos em animais.

Uma das pessoas que se sensibilizou com a campanha, foi a designer Anne Vilela “Antes eu não tinha essa consciência, faz um tempo que me atualizo e pesquiso sobre isso, e recentemente teve o vídeo “Save Ralph”, que me fez pensar ainda mais”.