Prefeito de Mogi das Cruzes busca apoio contra a instalação de pedágio na Mogi-Dutra

Até o momento, o Governo do Estado de São Paulo não descartou a possibilidade de instalação do pedágio

Google Maps

Durante a semana, o prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha, teve parte de sua agenda dedicada a conversar com representantes do movimento "Pedágio Não" e deputados federais para barrar a instalação de um pedágio na rodovia Mogi-Dutra (SP-088), altura do KM 45.

Além de fazer uma reunião com munícipes que são contra a proposta da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), o prefeito também foi até Brasília ao lado do secretário municipal de Planejamento e Urbanismo, Claudio de Faria Rodrigues, para conversar com políticos atuantes em Mogi das Cruzes e região em busca de apoio.

Como forma de reprovação ao pedágio, na última semana de abril de 2021, Cunha escreveu uma carta direcionada ao Governo do Estado, na qual afirmou: “Venho por meio desta reiterar minha posição: sou absolutamente contra a instalação de uma praça de pedágio na rodovia Mogi-Dutra. Meu posicionamento não é apenas como prefeito, mas como cidadão e mogiano – vivo aqui desde que nasci. A implantação desse pedágio seria um desastre, um retrocesso e um verdadeiro obstáculo ao desenvolvimento de Mogi e de toda a região do Alto Tietê”.

Até o momento, o Governo do Estado de São Paulo não descartou a possibilidade de instalação do pedágio, que segundo a Artesp provém de um estudo que “considera as premissas técnicas, sociais, ambientais e o equilíbrio da rede e do contrato, considerando a opção mais adequada para o projeto”.