Decreto libera eventos em Mogi

Uso de máscaras e de álcool em gel 70% continuam obrigatórios, assim como o distanciamento de 1 metro em filas

Divulgação

Nesta quarta-feira (4), o prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Podemos), assinou o Decreto nº 20.467/2021, que permite a volta dos eventos esportivos, culturais e de lazer com 100% da capacidade total, desde que sejam cumpridos os protocolos sanitários.

Em suas redes sociais, o chefe do Executivo comentou a decisão: “Estamos entrando em uma nova fase, com mais liberdade, mas que também pede mais responsabilidade e empatia de todos”, pontuou. 

Ainda de acordo com o decreto, a venda ou disponibilização de ingressos deve ser feita exclusivamente de maneira antecipada, tendo de ser encerrada com, pelo menos, 24 horas antes do início do evento. Já os portões de acesso ao local devem ser abertos três horas antes do início e aglomerações irregulares são proibidas, seja na entrada ou na saída. 

Para a compra, deverão ser apresentados documentos e a carteira de vacina, com as duas doses ou dose única. O público deve estar sentado para assistir às atividades.

Também fica previsto pelo decreto que os estabelecimentos e demais espaços que realizarem atividades e eventos esportivos com presença de público em Mogi das Cruzes ficam obrigados a manter os protocolos sanitários: desinfetar, totalmente, o local antes e depois do evento; disponibilizar álcool em gel 70% nos pontos de entrada para consumidores, frequentadores, colaboradores e funcionários; organizar filas internas e externas no local, observando e garantindo o distanciamento de 1 metro; uso obrigatório de máscaras durante a permanência no ambiente, cobrindo a boca e o nariz, por todas as pessoas maiores de dois anos.

Uso de máscara

Os números de casos de Covid-19 estão diminuindo a cada dia em Mogi e em todo o Estado. Nesta quarta-feira (3), o governo de São Paulo anunciou que pretende desobrigar o uso de máscaras nos ambientes externos a partir de dezembro. A flexibilização depende da continuidade da tendência de queda de casos, internações e mortes em decorrência da Covid-19. O Estado registra queda de 93% de mortes desde abril.