Preço do gás para uso industrial sofre novo reajuste

A Petrobrás anunciou nesta terça-feira, 15, um novo reajuste nos preços do gás de cozinha para uso industrial, devido à escalada das cotações do petróleo e do dólar. A divulgação veio oito dias após o último aumento e desta vez a alta será de 3,6%. Este é o terceiro aumento consecutivo no preço do gás de cozinha para uso industrial e residencial em apenas 20 dias. No dia 8 de maio, foram 7,1%, e em 27 de março, 4,7%. A alta acumulada no período é de 16,2%. Já o gás para envase em botijões de 13 quilos foi ajustado pela última vez em abril, com corte de 4,4%. O reajuste vale apenas para a venda do gás em botijões a granel ou maiores que os de 13 quilos (P13), que por sua vez são os mais consumidos por residências e têm ajuste com periodicidade trimestral, com o objetivo de minimizar o repasse de volatilidades internacionais ao consumidor brasileiro. A Petrobras pratica preços diferentes para os tipos de consumo desde 2003. Isto porque o gás envasado em botijões de 13 quilos tem uma fórmula diferente, que garante desconto em relação ao produto destinado a uso industrial e comercial. Elizeu Nogueira, representante da distribuidora Convento Gás de Guararema, trabalha com botijões de 13 quilos e com o cilindro de 45 quilos (P45), utilizado por cozinhas de restaurante. Ele acredita que a tendência é que o gás de uso residencial também fique mais caro. “O P13 terá aumento ou redução no início do mês que vem, mas com este reajuste do dólar não vejo outro cenário a não ser aumento”, diz.