Guararema recebe programa de empoderamento das mulheres com deficiência

Iniciativa trará cursos profissionalizantes, além da inserção dessas mulheres no mercado de trabalho local 

Em Guararema, há cerca de 1,5 mil mulheres com alguma deficiência. Foto: Divulgação/Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Nesta quinta-feira (13), será lançado em Guararema, de forma virtual, o programa Todas in-Rede, promovido pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do Estado de São Paulo. O programa busca empoderar, qualificar e profissionalizar mulheres com deficiência. Além de Guararema, a iniciativa também atuará nos municípios de Jacareí e de Santa Branca.

O lançamento do programa poderá ser acompanhado pela página do Facebook da Secretaria no link https://www.facebook.com/pessoacomdeficienciasp/, às 15h.

Em entrevista ao O Novo, a secretária da Pasta, Célia Leão, falou da importância e dos objetivos da iniciativa. “Temos, hoje, no Estado de São Paulo 3,7 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, das quais 1,9 milhão são mulheres, por isso precisamos de um programa diferenciado para atender as necessidades dessas mulheres”, explicou a secretária.

Segundo Célia, o programa trará cursos, ministrados por profissionais de universidades de São Paulo, de qualificação para o mercado de trabalho. O “Meu Emprego Inclusivo", que é parte do Todas in-Rede, realiza a busca pelas vagas em empresas e indústrias para que essas mulheres, após a qualificação, possam integrar o mercado de trabalho. Além dos cursos profissionalizantes, também há, por exemplo, cursos de libras, para facilitar a comunicação em sociedade.

“Além de dar voz às mulheres com deficiência e tirar elas da invisibilidade, queremos garantir o acesso à essa informação, garantir a geração de emprego e renda, dar a autonomia financeira e de vida. Queremos garantir o direito de ser mulher”, ressaltou a chefe da Pasta. 

Em Guararema, existem cerca de 3 mil pessoas com alguma deficiência, das quais quase metade são mulheres. 

Após o lançamento do programa, será assinado um protocolo de isenções que traz aos municípios participantes a obrigação de auxiliar na divulgação do programa em sites ou outros meios de interesse. A Secretaria do Direito da Pessoa com Deficiência já conta com uma rede de cerca de 1,8 mil mulheres cadastradas.