A riqueza da biodiversidade que se concentra em Guararema

Apesar de Guararema ser considerada uma cidade pequena, o município concentra uma vasta diversidade de biodiversidade e que precisa ser preservada

Guararema é composta por uma biodiversidade bem ampla, inserido no bioma mata atlântica, só não vão se encontrar animais maiores como onça pintada, tamanduá. Mas no bioma em que está inserido a cidade pode se encontrar onça parda, gato mourisco, jaguatirica, gato do mato, e segundo relatos houve casos de lobo guará rondando a região.


O raríssimo Bicudinho-do-brejo-paulista é um animal que está localizado na região, devido ao bom ambiente em que se encontram, mas essa espécie está correndo risco de extinção, o fato se deve à redução do hábitat, além do número baixíssimo da população total, estimada entre 400 e 900 exemplares. O bicudinho-paulista se move em voos curtos, com pequenos saltos pelo inferior da vegetação dos brejos, o que torna a localização difícil e restrita.
Outro que habita a região e também se encontra ameaçado de extinção é o sagui-da-serra-escuro, um macaco pequeno, que tem a pelagem preta com manchas ruivas, com destaque para a sua cauda, também preta, mas com finos anéis brancos em toda sua extensão e temos também o pixoxó, uma ave de canto bonito também correndo risco de extinção.


Guararema é privilegiada por ter uma grande variedade de Ictiofauna (fauna de peixes), Malacofauna (moluscos, conchas), e Carcinofauna (caranguejos) e mais ou menos 120 espécies de peixes que são do rio paraíba.
Em relação aos mamíferos Guararema também é muito privilegiada, se encontra na região o topo da cadeia alimentar como a onça suçuarana, puma concolor. No resto da cadeia se encontra na região a paca, irará, gatos do mato, veado-catingueiro, tatu, guaxinim, coelho tapiti (único coelho brasileiro). A biodiversidade em Guararema também conta com uma fauna e flora de micro orquídeas e orquídeas silvestres enorme, sendo reconhecida por isso.


O município de Guararema nos últimos anos vem mostrando uma grande concentração de capivaras em seu território. O professor Marcos Granjeiro em conversa com O Novo, falou das consequências que esse fator pode causar na fauna e na flora da cidade.


“Essa grande concentração de capivara pode vir a ser um problema, pois isso envolve bastantes profissionais, por ser um animal silvestre e a caça é proibida e não tem predador para controlar a crescente desse animal” afirma.
O professor comentou também sobre às caças aos animais que habitam na região, que ainda ocorrem. “Infelizmente temos uma cultura de caça e aprisionamento de animais, a caça a paca é  conhecida em Guararema, a polícia ambiental tenta evitar, porém nós não temos o controle efetivo disso” finaliza.