Ministro da Saúde pretende adequar atendimento médico voltado para a saúde mental de adolescentes

Luiz Henrique Mandetta reforçou a importância de se trabalhar a promoção da vida saudável com as crianças e jovens brasileiros no atendimento à saúde mental

O mês de setembro foi escolhido para ser o período de conscientização do suicídio, a campanha batizada de “Setembro Amarelo” desenvolve ao longo do mês atividades para o fortalecimento e a prevenção do suicídio. O assunto por muito tempo foi pouco debatido na sociedade, um dos agravantes dos índices de suicídios registrados. No mundo, uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos.


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse durante evento na Câmara dos Deputados na última terça-feira (10), no Dia da Prevenção do Suicídio, sobre a necessidade de qualificar o atendimento às pessoas que sofrem com algum tipo de transtorno de saúde mental. Durante o Simpósio Nacional de Prevenção do Suicídio e Automutilação, Mandetta explicou que está sendo discutindo um espaço de saúde mental especializado para o público adolescente.


“A infância e a adolescência passou por um impacto que foi o surgimento da internet. Há um mundo virtual e um real. Hoje estamos lindando com um bullying global e isso gera uma pressão no nosso jovem brasileiro’”, disse o ministro da Saúde.
Mandetta disse ainda que no país, as crianças passam muito mais tempo no “mundo virtual” do que nas relações interpessoais. “A criança brasileira é uma das que mais passa tempo em frente às telas e isso é fator de estresse mental”, afirmou. 


Por esse motivo, o Ministério está debatendo a criação de Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) que terá foco no adolescente, promovendo a busca ativa dos jovens nas escolas e nas comunidades como forma de acolhimento deste público. “É um local vocacionado para gerar política de saúde mental para a criança e para o adolescente, já que temos observado um aumento da automutilação nesta idade”, enfatizou.


Segundo Mandetta, o Ministério da Saúde está “se preparando para reorganizar todo o sistema de teleatendimento para termos um serviço mais qualificado, onde possamos dar um melhor suporte, aumentando a inserção do profissional de educação física para trazer esporte e atividade física na saúde pública”.
O Ministério da Saúde estima, com base na Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013, que 14,1 milhões de brasileiros apresentam diagnóstico de transtornos ou sofrimentos mentais. Ainda segundo a PNS, foi estimado que 7,6% das pessoas de 18 anos ou mais receberam diagnóstico de depressão.


Nos locais onde existem Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), o risco de suicídio reduz em até 14%. Existem no país, 2.592 CAPS e a estratégia prevê a expansão dessas unidades nas regiões de maior risco.