Europa. Mais perto ou mais longe?

 wikicommons/Mundo Estranho

Muita gente me procura para falar sobre o retorno das viagens a Europa. É um assunto complexo, pois, as mutações que se desenvolveram aqui, em especial a variante de Manaus, e os casos (até agora poucos) de circulação da variante africana, são uma fonte de preocupação aos países europeus que mantém, e até aumentaram, as restrições aos viajantes brasileiros.

É impossível fazer algum tipo de previsão, ou, afirmar com certeza. Claro que, analisando o cenário atual da pandemia, podemos especular, mas, não passa de especulação, pois, não há pitonisa que possa cravar uma data a esse caso.

Infelizmente, o cenário mais provável é que as restrições para países de fora do bloco europeu, como o Brasil, sejam mantidas até 2022. Sendo bastante otimista, até o final do verão na Europa, em Setembro 2021, pelo menos.

A chamada “imunidade de rebanho” só ocorre se 70% da população estiver vacinada, antes disso, duvido muito que as fronteiras sejam abertas aos brasileiros, até porque, ainda temos de considerar que os europeus podem querer se certificar da eficiência das vacinas contra a variante de Manaus, antes de permitir a entrada de brasileiros. Até o momento, os testes têm mostrado que os atuais imunizantes são eficientes.

Nosso processo de vacinação está demasiado lento sim, mas, não é só aqui. A lentidão na vacinação na Europa, também por falta de imunizantes, é um problema grave. A estimativa é que a imunidade de rebanho só seja atingida entre Julho e Agosto, o que pode apontar para uma flexibilização neste período. Não para nós. Somente entre os membros do bloco. 

Se algum país fora do bloco tiver de ser beneficiado com algum tipo de flexibilização, certamente esse país será os Estados Unidos, com casos em queda e avançado ritmo de vacinação. Portanto, caro viajante, sugiro colocar as barbas de molho em relação a viagens a Europa.

Alguns países europeus já têm planos para abrir suas economias ao turismo (muitos são extremamente dependentes do turismo), até mesmo bancando despesas médicas dos viajantes, medidas essas, entretanto, aplicáveis apenas ao turismo interno, dentro do bloco.

Temos, porém, outro fator agravante para se preocupar. Nossa vacinação a passo de tartaruga é um prato cheio para o desenvolvimento de novas variantes. Caso isso ocorra, um novo cadeado será colocado as portas da Europa, com o aumento das restrições aos brasileiros. 

Que inveja tenho dos britânicos, pois, o Reino Unido já planeja a terceira dose da vacina, como forma de reforço. Eu não tomei sequer a primeira dose. Nem eu e nem minha esposa fomos vacinados ainda, e nem há expectativa de quando isso irá ocorrer para nossa faixa etária.

Barbas de molho, meus amigos. Se você é cidadão europeu (possuiu passaporte europeu) e já tem sua passagem em mãos, sugiro que aguarde os desdobramentos e os fatos novos em relação a essa crise, mas, esteja avisado que o risco de sua viagem ser adiada ou cancelada é real.

Se a Europa faz parte dos seus sonhos e dos seus planos de viagem e você ainda não adquiriu suas passagens, luz amarela para você. Aguarde. Aguarde e siga acompanhando o desdobramento da pandemia. Mas, se o impulso para garantir seu lugar no voo for maior que a razão, nossa sugestão é que compre sua passagem somente para 2022.