Representantes do comércio mogiano discutem medidas de flexibilização com o legislativo

Entre os pedidos está a volta do drive-thru para os comércios da região durante o período que antecede a páscoa

Reprodução/ Câmara Municipal de Mogi das Cruzes

Vereadores de Mogi das Cruzes se reuniram com representantes do comércio local, na Câmara Municipal, para discutirem um projeto que prevê medidas mais flexíveis para os estabelecimentos na cidade com a implantação da fase crítica. Reunião aconteceu nesta terça-feira.

O encontro, que promoveu o diálogo entre os comerciantes e parlamentares, tinha como pauta um pedido para que o Executivo acompanhe as regras seguidas pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), que está acompanhando a fase emergencial do Plano São Paulo. Após a reunião, a Câmara Municipal, encaminhou um ofício ao prefeito, Caio Cunha (Pode), com o pedido de acompanhar as medidas dos dois órgãos e assim evitar medidas isoladas e mais restritivas.

“Meu posicionamento é sensível às reivindicações dos comerciantes. Sabemos da importância de preservar a vida das pessoas, mas também precisamos de medidas que auxiliem o comércio da cidade que gera emprego e renda. A situação atual tem impactado negativamente na economia.” pontua o vereador, José Luiz Furtado (PSDB), que complementa seu pensamento “Os empréstimos emergenciais feitos pelos empresários no ano anterior para amenizar os efeitos da pandemia, estão na fase final de carência, sendo exigida a sua adimplência nesse momento, o que não será possível se não tivermos alguma medida que os auxilie. O mais importante é estreitar o diálogo, que não vem sendo feito por parte do Executivo”, conclui o parlamentar.

A presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes, Fádua Sleiman pleiteia que ao menos uma medida seja flexibilizada “Pedimos para que pelo menos o atendimento de drive-thru seja liberado, pois, a Páscoa é uma data importante para o comércio e coincide com a semana de pagamento”.

Sleiman ainda reforça o pedido de progressão para fase emergencial “Nosso comércio está sofrendo, como apenas Mogi implantou estas regras mais restritivas, muitos consumidores estão se deslocando para cidades vizinhas, como Suzano, para fazer suas compras. Essa situação é injusta com o comerciante local”, finaliza.

Também foi pedido para que seja criado um plano de retomada para o comércio quando a procura pelos leitos hospitalares registrar uma queda, o que possibilita a regressão das restrições e que as novas mudanças sejam informadas com antecedência, para que assim o comércio possa estar preparado para a implementação de novas regras.