Janeiro Roxo chega em Guararema e conscientiza sobre a Hanseníase e sua prevenção

Durante todo o mês de janeiro acontecem no Brasil ações para conscientização do Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, que acontece todo o último domingo do mês. A ação é apoiada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que incentiva que as cidades promovam atividades para que os munícipes saibam como prevenir e tratar a doença.

Com o objetivo de promover a saúde, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Guararema farão o Janeiro Roxo. Até o dia 31, será intensificada e reforçada a conscientização dos pacientes e da comunidade guararemense sobre a hanseníase.

De acordo com a Divisão Técnica de Hanseníase do Estado de SP, a proposta do Janeiro Roxo é “melhorar a compreensão sobre a doença e programa como também promover a participação ativa nos serviços de saúde. Informar a população sobre sinais e sintomas iniciais e principais da hanseníase possibilitando a identificação de casos novos da doença”.

Segundo a prefeitura, ao longo da campanha serão propostas reflexões com os usuários das UBSs desfazendo mitos e concepções errôneas, impedindo atitudes que reforçam o estigma e a discriminação. Também será realizada a conscientização sobre direitos humanos especialmente os relacionados à hanseníase. É importante ressaltar que quanto mais precocemente um caso é identificado, maior a chance de não ocorrer dano neural, e, portanto, não haver incapacidade, além de ser menor o risco de haver transmissão.

De acordo com o Ministério da Saúde, a hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, que acomete principalmente pele e nervos periféricos podendo levar a sérias incapacidades físicas. É de notificação compulsória em todo o território nacional e de investigação obrigatória. Os principais sintomas são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas, amarronzadas, pele seca e com falta de suor, queda de pelos, formigamento, dor, sensação de choque, úlceras e outros. A doença acomete pessoas de ambos os sexos e qualquer idade em áreas endêmicas.

O diagnóstico de casos de hanseníase é clínico e epidemiológico, realizado com exames gerais e dermatoneurólogicos. Caso se identifique com os sintomas, procure imediatamente um profissional da saúde.