Alto Tietê representado em grande estilo nos Jogos de Tóquio

Os fatos marcantes das Olimpíadas com a participação dos 5 atletas da nossa região, o desempenho sensacional dos nossos surfistas e skatistas, o fim do jejum nas piscinas, Tênis de Mesa, ON/OFF e mais destaques nesta Coluna!

Legado no Surf/Skate

O desempenho sensacional dos brasileiros com as pratas emocionantes de Rayssa Leal, de apenas 13 anos, e de Kelvin Hoefler, 27, e o ouro de Ítalo Ferreira, 27, no Surf consolidaram as duas modalidades como manias nacionais, principalmente entre os jovens. E poderia vir mais medalhas não fosse a contusão da líder do ranking Pâmela Rosa, e a infelicidade da lenda Letícia Bufoni que ficou apenas na 9ª colocação e não alcançou as finais. Já no Masculino, Felipe Gustavo e Giovanni Vianna não conseguiram se aproximar do pódio.

 


 

Frase da Semana

“Se você pode sonhar, você pode realizar. Nunca desista dos seus sonhos!”Se você pode sonhar, você pode realizar. Nunca desista dos seus sonhos!”

Rayssa Leal, 13 anos, ao comemorar a prata histórica do Skate Street em Tóquio.

 


 

TÊNIS DE MESA
Hugo Calderano foi eliminado da chave de simples pelo alemão Dimitrij Ovtcharov por 4 a 2. Cabeça de chave Nº 4, o brasileiro chegou a abrir 2 a 0 e 8/4 no 3º set, mas acabou levando a virada. Mesmo assim, o desempenho foi elogiado pois é a primeira vez na história que o Tênis de Mesa do Brasil conseguiu se classificar para quartas. Hugo segue em Tóquio para disputa da competição por equipes, ao lado de Gustavo Tsuboi e Victor Ishiy. O Brasil é cabeça-de-chave número 6 e estreia domingo contra a Sérvia.

NATAÇÃO QUEBRA JEJUM
O gaúcho Fernando Scheffer, 23 anos, conquistou o bronze nos 200 metros livres com a excelente marca de 1min44s66. Ele fechou a prova brigando diretamente com os atletas da Grã-Bretanha Thomas Dean e Duncan Scott. O bronze de Scheffer quebra o jejum da tradicional Natação Brasileira sem medalhas, inclusive no RJ quando nenhum atleta brasileiro subiu ao pódio nas piscinas. Já o brasileiro Leonardo de Deus que era esperança de medalhas nos 200m borboleta ficou apenas em 6º lugar.

BASTIDORES DOS JOGOS
No programa Conexão Esportiva dessa semana, o nosso correspondente e atleta das artes marciais, Vitor Toffanelli, direto do Japão, falou sobre o clima das competições por parte do povo japonês, que devido à pandemia demonstrou resistência parcial à realização dos Jogos no Japão. A íntegra da edição está disponível no face adriano.toledo.leite


 

ON
» Anfitriões olímpicos. País sede, os japoneses estão demonstrando que se prepararam muito bem para os Jogos. O país briga pela liderança do quadro de medalhas, de igual pra igual com potências mundiais como EUA, Rússia e China. Os japoneses poderiam ter sediado os Jogos de 2012, mas decidiram adiar para 2020.

OFF
» Arbitragem / VAR.
A arbitragem de várias disputas nos Jogos Olímpicos deixa a desejar. Tivemos polêmicas na ginástica artística e no skate, com decisões polêmicas. E para piorar, até agora muita gente não entendeu eliminação de Medina na semi e na disputa do bronze no surf, assim como a eliminação de Maria Portelas no judô.