Instagram divulga o período do Ramadan e posts desrespeitam a tradição

O Ramadan é um dos pilares do Islamismo e objetiva a prática de jejum do nascer até o pôr do sol

Divulgação

Entre 13 de abril e 12 de maio de 2021, acontece o Ramadan (Ramadão/Ramadã), nono mês do calendário islâmico, em que os muçulmanos praticam um jejum do nascer até o pôr do sol, sem comer ou beber absolutamente nada, seguindo a tradição do profeta Maomé.

Para homenagear o período, o Instagram em conjunto com a artista Hala AlAbbasi, lançou figurinhas para ilustrar a data, entre elas, uma mesquita com céu estrelado e uma lua crescente; um chá e tâmaras; e a lua crescente com as estrelas, símbolos importantes para o Islã.

Como o aplicativo é acessado por milhões de pessoas todos os dias, muitas foram buscar o que é o Ramadan e outras passaram a usar as figurinhas sem entender o que elas significam, por isso, conversamos com o bacharel em Ciências da Religião, licenciado em Filosofia e estudante de Teologia, Lucas Baladi, que nos explica que o objetivo deste jejum é criar um espirito de caridade, entendendo como é passar fome e sede, e assim, se dispondo a ajudar as pessoas sempre que preciso.

“O mês do Ramadan é uma obrigação e isto constitui um dos cinco pilares do Islamismo. Existem pessoas que não são obrigadas a cumprir o mês do Ramadan, que são as mulheres que estão gestantes ou amamentando, as pessoas idosas, as com alguma debilidade mental e as crianças, fora isso, a partir dos 12 anos é obrigatório para todo muçulmano”.

Baladi afirma que após ver as postagens sobre o período no Instagram ficou com sentimentos divididos, já que é importante que outras religiões sejam reconhecidas, mas o Google e o Instagram fazem boa propaganda do islamismo somente nesta época, “o mesmo nós não vimos ser feito no Natal, na Páscoa e na Semana Santa. Então existe uma grande desigualdade, infelizmente eu pude reparar isso”.

“Outro ponto que eu acabo enxergando de uma maneira antropológica é o oportunismo que as pessoas estão fazendo. Como fica em destaque no Instagram, todo mundo vai ficar vendo e eu acredito que o objetivo foi dar uma ferramenta para os mulçumanos colocarem alguma coisa em relação a religião deles, mas as pessoas acabam postando coisas vulgares junto com aquelas figurinhas, como por exemplo o minarete de uma Mesquita, que é sagrado para o mulçumano e acaba sendo profanado. Profanam o sagrado e sacralizam o profano”, finaliza.