Nacional

Apple deve indenizar cliente que comprou iPhone 11

Situação. O cliente não precisará devolver o celular danificado pela chuva, e a empresa deverá reembolsar o valor pago pelo aparelho

Lucas Peres

Publicado

há 11 meses

em

Apple deve indenizar cliente que comprou iPhone 11

Foto: Reprodução\Freepik

A Apple Computer Brasil, empresa subsidiaria da Cupertino, foi condenada pela 1ª Turma Cívil do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) a reembolsar um cliente que comprou o iPhone 11. O aparelho, que as propagandas diziam ser resistente a água, respingos e poeira, foi danificado por uma chuva repentina.

O aparelho foi comprado em setembro de 2020, e ainda durante a garantia, em junho de 2021, o aparelho foi molhado na chuva. O cliente deixou o telefone secar, mas, no dia seguinte, viu que o celular apresentava problemas de funcionamento; a câmera estava turva e o Face ID não funcionava mais.

Ao levar o aparelho à assistência técnica oficial da empresa, descobriu que a garantia não cobria problemas causados pela umidade e precisaria pagar o valor aproximado de R$ 3,2 mil pelo conserto.

Em seu site, a Apple afirma que o iPhone 11 foi testado em laboratório e recebeu a classificação IP68, padrão da Norma Itec, que significa que o aparelho deveria aguentar um mergulho de 3 metros de profundidade de águaAlém disso, informa que a resistência pode diminuir com o tempo, e, que a garantia não cobre danos causados por líquidos. Mesmo assim, o desembargador relator do caso, Carlos Pires Soares Neto, considerou os dados insuficientes.

Em sua decisão, o jurista disse que faltou a empresa destacar "qualidade e característica da água (como, por exemplo, doce e ou salgada), profundidade, tempo de exposição e condições adversas". As fotos de divulgação também levam o consumidor a acreditar que o iPhone 11 resiste à água em qualquer situação.

Durante o processo, a Apple teria alegado que o problema citado pelo consumidor teria sido causado devido ao mau uso do aparelho, mas a decisão do TJDFT foi unânime e manda que a subsidiária pague o valor de compra do iPhone 11 ao usuário. O consumidor também ficará com o celular.