Mogi das Cruzes divulga estudo sobre a ocupação da Vila São Francisco

A ação é feita pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social

Prefeitura Municipal de Mogi das Cruzes

Foi divulgado na terça-feira, dia 11, um estudo social feito na área da Vila São Francisco, que foi ocupada em março de 2021. A ação é desenvolvida pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Ao todo, foram 291 unidades identificadas, sendo 222 sem ocupantes (176 inacabadas) e 69 unidades cadastradas e habitadas. Das 69 unidades ocupadas, as assistentes sociais detectaram que 52 famílias são de outras cidades, a maioria da zona leste de São Paulo e 17 famílias declararam ser de Mogi das Cruzes. Ao todo, foram constatadas 216 pessoas presentes na área, sendo 129 adultos e 87 crianças e adolescentes.

“O levantamento também apontou situação de extrema precariedade e risco à saúde pública, com a inexistência de fornecimento de água, de esgotamento sanitário, além de devastação da vegetação, morte de animais nativos e presença de animais peçonhentos e vetores de doenças graves, como aranhas e carrapatos”, afirma o estudo.

O estudo realizado visa ofertar proteção social aos mais vulneráveis e, ao mesmo tempo, levar conscientização sobre os riscos envolvidos em ocupações desordenadas. Atualmente, a área é monitorada pela Guarda Municipal.