Mesmo após manifestações políticas contra, pedágios serão instalados na Mogi-Dutra e na Mogi-Bertioga

O suplente a deputado, Dr. Luis Carlos Gondim, havia se manifestado sobre a implantação das praças ainda no início de março; o médico é contra a medida

Divulgação

O Governo do Estado de São Paulo publicou nesta sexta-feira (14/05) decreto para a abertura de uma licitação de estradas que vão de Mogi das Cruzes ao Litoral Sul, nomeado 'Lote Litoral Paulista'. O texto gerou discussões, e até confusão por parte da Artesp - Agência de Transportes do Estado de São Paulo, ao indicar o local no qual os pedágios seriam inseridos.

No entanto, segundo o edital da Artesp, as praças de pedágios serão instaladas no km 40 e no km 41 da Mogi-Dutra e na Mogi-Bertioga no km 95.

O edital também prevê a implantação de avenidas marginais em Mogi das Cruzes, como obras nas avenidas Maurílio Souza Leite, Álvaro de Campos Carneiro, Henrique Perez, David Bobrow e Valentina Melo Freire Borenstein. O objetivo é fazer o morador usar essas vias e evitar o pedágio na Mogi-Bertioga, segundo a Artesp.

O posicionamento da agência não foi bem recebido pela cidade, que há um bom tempo luta contra a instalação das praças de pedágios nas rodovias com os movimentos ‘Todos Contra o Pedágio’ e o ‘Pedágio Não’. Nesta semana, uma Frente Parlamentar, com os vereadores do município, também foi criada com o intuito de impedir a medida.

O Novo, buscou autoridades da cidade para discutirem o tema. Para o presidente da Câmara Municipal, Otto Rezende, se a medida for tomada “Veríamos a cidade partida ao meio, isolando uma parcela da população, que teria de pagar para andar dentro da própria cidade, em uma rodovia que foi construída unicamente com recursos municipais”.

"A população mogiana não pode ser punida com o pagamento das contas do Governo do Estado"

O vereador Bi Gêmeos, também é contra a decisão “Essa medida dificulta o escoamento da produção local, além de trazer prejuízos à nossa economia”, e afirmou que está disposto “a fazer o que for necessário e lutar contra esse posicionamento”.

"Não é justo o mogiano ter que pagar para ir e vir dentro do próprio município" 

“Meu posicionamento a princípio é contrário. Não conhecemos o projeto nem os benefícios que a cidade terá.”, contou o parlamentar, José Luiz Furtado, o Zé.

"Não foi discutido com os mogianos nenhuma possibilidade de implantação de pedágio"

Para a vereadora, Malu Fernandes, a medida afeta uma grande parcela da sociedade “Temos que levar em consideração o polo industrial, comerciantes e estudantes universitários que seriam lesados, pois teriam seus custos com o transporte impactados”.

"A função do poder público é proporcionar oportunidades para todos e não construir mais barreiras"

Outro político que já havia se manifestado sobre o caso é o suplente a deputado, Dr. Luis Carlos Gondim. O Dr. publicou um vídeo nas redes sociais em 2 de março deste ano, prevendo a privatização das duas rodovias mogianas. O político também é contrário à instalação das praças e segundo o vídeo publicado, já havia alertado que caso não ocorresse de imediato a manifestação dos políticos da região contra o pedágio, seria impossível lutar contra.