Prefeito comenta sobre futuro cenário político

Adriano de Toledo Leite, 38 anos, nasceu e foi criado em Guararema. É casado com a Vanessa Noronha, presidente do fundo social de solidariedade e juntos tiveram a Alicia, 6 anos. Formado em Comunicação Social-Jornalismo pela UMC – Universidade de Mogi das Cruzes, é prefeito reeleito em Guararema, antes de conseguir o cargo atuou em alguns jornais da região, foi vice-prefeito do atual Deputado Federal, Márcio Alvino, Secretário de Saúde da Assistência Social, Chefe de Gabinete e também cuidou do setor de comunicação juntamente com o atual Deputado Estadual, André do Prado. 

Adriano, para o município de Guararema. Como foi o ano de 2018 na ótica como prefeito?
"O início de 2018 era bastante esperançoso, tinha uma expectativa, não só do poder público, mas também das iniciativas privadas, das empresas e de melhorias, digamos assim era um ano para recuperar e sair da crise, começou bem, depois veio aquele episódio da greve dos caminhoneiros que deu uma desestabilizada, depois veio copa, ano eleitoral, a economia não conseguiu deslanchar. Dentro da realidade, principalmente financeira, orçamentária, conseguimos desenvolver ao longo do ano, mas ainda com bastante cuidado e cautela, conseguimos um ano produtivo, mas não dentro daquilo que era o que se esperava, da economia nacional como um todo, mas como 2017 a gente já havia feito um trabalho de reformular, enxugar, cortar despesas, diminuir cargos, diminuir secretarias, isso refletiu positivamente em 2018. A gente teve um ano em que a receita ainda não recuperou o auge lá de 2012, 2013, mas que mesmo de maneira estabilizada, com a máquina enxuta, nos permitiu um ano com resultados positivos, as contas em dia, o salário em dia, o mais importante é a responsabilidade que o prefeito tem em relação ao gestor mesmo do dinheiro público".

Quais os principais avanços que o município teve neste ano. Obras que foram entregues, melhorias e desafios?
"Nós tivemos um ano em que nos possibilitou entregar algumas obras importantes, sem dúvida o destaque é a conclusão das obras de terraplanagem do Morro Branco, uma etapa fundamental para a conclusão do nosso maior objetivo que é a implantação e construção do hospital municipal. Fora isso, entregamos a cobertura da quadra da Escola Municipal Professor Dom Alberto Johnes Steeger que é a maior escola da região norte, entregamos a praça de lazer no bairro Nogueira que, era uma reivindicação dos moradores, demos sequencia nas obras de modernização, reforma e ampliação do ginásio de esportes. Estamos também concluindo a expansão da nossa central de monitoramento, um ponto bastante positivo foi o fortalecimento da coleta seletiva de lixo no município, o projeto piloto com a Guará Recicla e o fortalecimento da educação, algumas melhorias pontuais na saúde também que possibilitaram que o sistema municipal melhorasse o atendimento, ampliação da Unidade Básica de Saúde do bairro Jardim Dulce, obras de infraestrutura que também são muito importantes e podemos destacar sem dúvida a obra da Guararema, Salesópolis já com contrato assinado, ordem de serviço emitida, a obra já está girando, é uma obra que vai proporcionar um desenvolvimento fantástico naquela região, assim como a Guararema, Santa Branca".

 E as maiores dificuldades, quais foram?
"Foi um ano em que ainda impôs dificuldade por conta da oscilação da receita e principalmente Guararema que tem uma fonte importante de recurso oriundo de hostis da Petrobrás, a Transpetro ainda segue oscilando. Então quando você não tem um cenário econômico crescente ou um horizonte bem definido de crescimento, esses altos e baixos da receita municipal ela não te permite soltar obras maiores, porque você não sabe se vai ser compatível, se vai corresponder ao tamanho do investimento que você está fazendo, principalmente obras de infraestruturas, pavimentação, obras grandes, então isso impõe uma certa dificuldade, é nítido isso em todos os setores, seja público ou privado. Despesas permanentes crescem, os encargos também, energia, água, telefonia, reajustes de contratos e outras situações que trazem custos adicionais, você tem despesas em processo de crescimento e você não tem a receita crescendo na mesma proporção, então você tem sempre uma balança financeira desfavorável"

O que não conseguiu fazer este ano?
"Diante do cenário de receita oscilante e despesas crescentes, pra priorizar as áreas essenciais, sem prejudicar os serviços públicos, a educação, a saúde, nós reprogramamos algumas obras e algumas situações pontuais nós transferimos pro planejamento de 2019, priorizamos as obras principais que já falamos aqui, o dia-a-dia, o custeio da educação, da saúde, da limpeza pública e algumas obras de investimento mesmo nos bairros ou alguns serviços aqui da região central ficaram pro ano que vem, principalmente em termos de conservação, algumas obras de ampliação que a gente precisava soltar, tudo isso estava no planejamento de 2017 e 2018 e nós adiamos, não são obras digamos assim que vão prejudicar a qualidade de vida da população fazendo agora ou não, mas que num prazo curto nós precisamos fazer"
O que não conseguiu fazer este ano?
"Diante do cenário de receita oscilante e despesas crescentes, para priorizar as áreas essenciais, sem prejudicar os serviços públicos, a educação, a saúde, nós reprogramamos algumas obras e algumas situações pontuais nós transferimos pro planejamento de 2019, priorizamos as obras principais que já falamos aqui, o dia-a-dia, o custeio da educação, da saúde, da limpeza pública e algumas obras de investimento mesmo nos bairros ou alguns serviços aqui da região central ficaram pro ano que vem, principalmente em termos de conservação, algumas obras de ampliação que a gente precisava soltar, tudo isso estava no planejamento de 2017 e 2018 e nós adiamos, não são obras digamos assim que vão prejudicar a qualidade de vida da população fazendo agora ou não, mas que num prazo curto nós precisamos fazer"

E para o final do mandato, como avalia sua gestão?
"A prioridade é finalizar o mandato com uma boa avaliação, cumprindo o que for possível do plano de governo, investindo nas áreas prioritárias, porque tudo ai está atrelado quando você vai avaliar um trabalho de uma prefeitura ou de um gestor, ao clima econômico, a situação financeira e considerando tudo que houve de desiquilíbrio no país, de desemprego, das situações da crise política que afetou muito o cenário nacional, a população muito insatisfeita com o que aconteceu no país, então a gente pode considerar que Guararema ainda consegue ser um diferencial e isso a gente vê na avaliação da população e também na imagem que Guararema representa para as outras cidades".

Como você enxerga o cenário político estadual e federal com a eleição de Dória para Governador e Bolsonaro para presidente? Qual o impacto positivo e negativo para Guararema?
"Sempre que um novo governo, estadual e federal se aproxima, reacende uma expectativa, então o país está esperançoso e nós também que o governador e o presidente sejam felizes na sua gestão e no mandato que se aproxima, a gente sabe que precisa muito do país estar nos trilhos, então aquilo que cabe ao governo federal de rever e promover algumas reformas, estruturar algumas áreas do Brasil que estão carentes de novas leis, de novos investimentos e o governo estadual que também é fundamental, então confio muito no potencial do governador Doria e do presidente Bolsonaro. A gente espera um impacto positivo para Guararema, pensar sempre pelo lado positivo e a interlocução que se dá ao título do deputado André do Prado no cenário estadual e do deputado Marcio Alvino no cenário federal é importantíssimo, porque quando a gente lista as obras, as melhorias e as conquistas que tivemos nesse período de crise, a maioria delas veio pelas mãos deles".

Como você imagina o cenário político para as próximas eleições em Guararema? É possível desenhar um futuro candidato pelo PR? Existem conversas no partido?
“Agora é um novo ciclo que se inicia, isso é muito rápido você termina um ano par de eleição estadual, já entra um novo ciclo, é importante a sequência da gestão, o pensamento e a linha de trabalho, então a gente vai trabalhar em grupo, como sempre foi, de maneira coletiva para construir dentro do grupo uma candidatura forte, chapa forte de vereadores pra dar sustentação no novo mandato, mas pensando e priorizando a qualidade de vida, a reflexão do grupo e também é uma avaliação popular, assim como foi na minha reeleição, a população refletiu, comparou e optou na sua maioria em dar o crédito de mais quatro anos  de confiança, então é isso que a gente está fazendo, é isso que nós vamos buscar”.

Gostaria de fazer alguma consideração final?
“Gostaria de agradecer a atenção do Jornal O Novo, o papel que a imprensa, que o jornal desempenha na cidade e também agradecer a confiança, a credibilidade e a compreensão que a população tem conosco de entender a linha de trabalho, não há mundo perfeito, não tem como agradar integralmente, mas a gente costuma fazer o que é prioridade, pela experiência adquirida, em conjunto com nossos secretários, com nosso time, vereadores o que a gente entende que é o melhor e necessário, dentro das condições financeiras e legítimas da prefeitura, sem causar problemas de ordem técnica ou infringindo as leis”.

Para você Adriano, qual mensagem deixa para os moradores de Guararema neste fim de ano?
“Nesse momento de fim de ano, a gente já faz a análise do que foi o ano e projetamos um ano melhor, tem que se pensar positivo, olhar para frente, corrigir algumas deficiências do passado, então não podemos deixar de sempre pedir a Deus que proporcione ao Guararemense e a toda a população do estado e do Brasil um Natal com muita paz, muita saúde e um ano de 2019 também com prosperidade que é isso que a gente precisa, de muito trabalho e muitas realizações”.