Escola da Natureza completa dois anos de funcionamento

A escola promove o cultivo de milho, bananeiras, ipês roxos, uvaias, grumixamas, amoreira, entre outros

A Escola da Natureza Francisca Lerario completou, em agosto, dois anos de funcionamento. A instituição aproxima a população, em especial as crianças, das áreas de educação e meio ambiente. Desde a fundação o espaço recebeu inovações e hoje conta com um modelo de agrofloresta.

A escola nasceu com o legado de promover, além da educação ambiental, um resgate da conexão do ser humano com a natureza, por meio de vivências lúdicas, e da percepção da capacidade transformadora da natureza no íntimo de cada um.

“Desde a sua implantação, a Escola da Natureza Francisca Lerario vem cumprindo, com êxito,  a meta de integrar educação e meio ambiente, tanto para crianças quanto para profissionais da Secretaria Municipal de Educação”, explica a secretária municipal de Educação, Clara Assumpção Eroles Freire Nunes. “Para o futuro, o intuito é potencializar ainda mais os trabalhos realizados no local e mostrar para mais pessoas os valores de transformação que o espaço propõe”, completa.

Neste último ano, os espaços educadores foram aprimorados e receberam um modelo de Agrofloresta em uma área próxima ao pomar. O Sistema Agroflorestal (SAF), em linhas gerais, imita o que normalmente a natureza se encarrega de fazer: diferentes tipos de plantas cultivadas em um mesmo local cooperam entre si, afastando pragas e doenças, mantendo o solo sempre rico em matéria orgânica advinda da própria vida vegetal presente no local em um ciclo harmônico, que garante sua existência e constante renovação.

A instituição conta com o cultivo de milho, bananeiras, ipês roxos, uvaias, grumixamas, amoreira, entre outros. Uma diversidade que, no espaço de tempo necessário, começarão a produzir.