Plano de flexibilização para a educação terá mudanças

A valorização da escola como atividade essencial tem sido defendida em várias partes do mundo

Prefeitura Municipal de Guararema

Nesta quinta-feira, 17, o governador de São Paulo, João Dória, anunciou que as escolas públicas e particulares poderão seguir abertas mesmo em meio a pandemia. A autorização será para as escolas terem aulas regulares e não só atividades extracurriculares.
Com a mudança, a fase vermelha seguirá exemplos de países europeus como França, Alemanha, Reino Unido e Portugal, onde eles fecharam locais como bares e outras partes do comércio, mas as escolas continuavam funcionando.
O intuito do governo é permitir que 100% das crianças voltem a ter aulas presenciais quando o estado estiver na fase verde. Porém, mesmo com essa decisão do estado, há possibilidade de as prefeituras serem mais restritivas nessa decisão.
Contudo, o apoio da volta as aulas presenciais tem acontecido em várias partes do mundo, pois elas estarem fechadas por tanto tempo trouxe um prejuízo enorme. As últimas pesquisas realizadas mostram baixa contaminação e  transmissão em ambientes escolares.
Na coletiva dessa quinta-feira, o Secretário Estadual de Educação, Rossieli Soares, disse que ''Fico emocionado quando falo da volta às aulas pela certeza de que a sociedade precisa defender isso como prioridade'', relatou.
Para os cursos superiores, o novo decreto paulista autoriza o funcionamento das aulas presenciais na fase amarela com 35% das matrículas e na fase verde, 70%. Cursos da área da saúde já tem o retorno permitido em todas as fases do plano.