Aconteceu na semana e acontece sempre

Aconteceu 1. Aconteceu 2. Aconteceu diversas vezes na semana, no mês, neste ano e nos anteriores. Acontece, todo dia, todo momento. O racismo é um mal que está impregnado na sociedade e, o pior, na população brasileira. Sim, nesta mesmo que é a prova viva da miscigenação de culturas. É um absurdo, porém realidade. 
Difícil entender como certas pessoas se sentem superiores a outras por conta da cor. O passado, sem dúvidas, já foi de sofrimento para os negros e isso continua se perpetuando nos dias de hoje. De fora, já é possível ver que não é fácil estar nessa pele, imagina estando. O pior de tudo é ver gente falando que toda a luta do movimento negro não passa de “mimimi”. Que certas falas não passam de brincadeiras inofensivas, descontração, piada. 
Em meio a este cenário de ódio entre seres humanos, ao menos uma coisa pode nos deixar um pouco menos desesperançosos. Tem gente brigando contra o racismo, mostrando que casos envolvendo este crime não podem e não devem sair impunes. Quem comete a insanidade de menosprezar terceiros desta forma, tem que pagar. 
Como explicou recentemente o colunista do “Brasil de Fato”, Mário Augusto Jakobskind, “é urgente desmascarar este tipo de postura, porque o racismo, seja de que forma se manifeste, é algo inaceitável. Silenciar diante de manifestações racistas de qualquer natureza é compactuar com o ódio”.
Mais da metade de nós, população brasileira, é negra. Vivemos no mesmo país, pertencemos à nação e temos o mesmo valor. São questões de Direitos Humanos envolvidas neste contexto todo. O combate ao racismo deveria ser uma bandeira levantada por cada um. Refletir sobre o que dizemos, que às vezes sem percebermos trata-se de algo racista por já ser algo impregnado desde décadas, é o mínimo a ser feito. Triste é ver a necessidade de pedir por algo que deveria ser espontâneo, teoricamente natural de quem é humano.