Mudança de sentido em ruas do São João, em Jacareí, divide opinião de munícipes

Na quinta-feira passada, 05, as ruas São Benedito e Padre Leonardo de Campos, que ficam no bairro São João em Jacareí, tiveram o sentido invertido. De acordo com a Prefeitura, as mudanças foram colocadas em prática após estudos de mobilidade que envolvem contagem de veículos e diálogo com a população local. O principal objetivo, segundo a administração municipal, é deixar o trânsito mais fluido e seguro.  Na Rua São Benedito foi identificado um problema com o estacionamento de caminhões que precisavam carregar ou descarregar mercadorias em um supermercado, oferecendo risco de segurança, atropelamento e prejudicando a fluidez da via. Desta forma, o fluxo de caminhões foi direcionado à Rua Padre Leonardo de Campos, que é menos movimentada e não residencial, e a saída da Avenida Pereira Campos para a Rua Santa Helena passou a ser pela Rua São Benedito. Uma semana após as alterações, o Jornal O Novo questionou os munícipes para saber o que eles estão achando da mudança. Jessica Alves, que mora na rua São Benedito, diz que aprova. “Eu adorei! Os caminhões não estão mais estacionados na frente das casas, podemos dormir em paz porque eles não ficam mais descarregando material às 3h da manhã. Elogiei o departamento de trânsito e acho que todos os vizinhos estão satisfeitos”, disse. Outra moradora da São Benedito, Esmeralda Conceição, comenta que ficou ruim o movimento de carros mas que para os moradores está ótimo. “Uma hora da madrugada eu já acordava com o barulho. Motoristas não desligavam os caminhões e ficavam conversando alto”, lembra. Por outro lado, alguns estão insatisfeitos com o impacto da mudança no trânsito. Luciana Martins, que trabalha com transporte escolar, diz que está “horrível” para transitar pela região e que enfrenta congestionamento. “Quando você chega na rua São Benedito o trânsito trava. Já fiquei dez minutos parada na rua, às 17h, por conta do trânsito. Se queriam tirar os caminhões dali era só passá-los para a outra rua, mas manter esta na mesma mão”, relata. Vilma Malta, que passa pelo local todos os dias, também não está satisfeita. “Está praticamente sem condições de passar por lá, principalmente entre 17h30 e 18h”, comenta. Para ela, a situação anterior à mudança,  em que os motoristas entravam pela rua lateral da Igreja, exigia uma solução. “Infelizmente a mudança feita não resolveu o problema”, completa. Segundo o secretário adjunto de Mobilidade Urbana, Rafael Júlio, com a inversão é possível “dar vazão ao volume de veículos na Santa Helena, permitindo um tempo semafórico mais longo em frente à Igreja, uma vez que, anteriormente, o semáforo servia para dar vazão às pessoas que acessavam a Rua Santa Helena pela Padre Leonardo, que tem seu sentido invertido agora”.