Jovem relata experiências como mãe de uma criança com necessidades especiais

Muitos veem a maternidade como um desafio a ser enfrentado. Desde a gravidez, a mulher já passa a ter novas preocupações e cuidados a serem tomados. A atenção, a partir deste momento, já não é apenas para si, mas para uma nova vida, prestes a se formar. A moradora de Jacareí Juliana Ferreira, 23, está grávida e já é mãe de outras duas meninas: Giulia, de quatro anos, e Isabelly, de três. A mais nova possui hidrocefalia, doença que se refere ao acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano dentro do crânio, que leva ao inchaço cerebral. Mesmo com a pouca idade, a mãe afirma que Isabelly já passou por doze cirurgias e está aguardando para fazer um procedimento que já foi realizado três vezes, sem sucesso. Juliana explica que a filha faz sessões de fisioterapia às quintas-feiras e que é consultada por um médico especialista a cada três meses. Até o momento, Isabelly não participa de nenhum grupo de apoio. Quanto às necessidades específicas da filha, a jovem diz que a menina precisa utilizar itens como cadeira de rodas e uma cadeira própria para o banho, além de uma espécie de “botinha” especial, que ainda não foi comprada. Segundo Juliana, as poucas condições financeiras resultantes da necessidade de compra dos equipamentos dificultam a aquisição de alguns produtos para a casa. “Meu marido precisa comprar as coisas para a Isabelly. Tem dia que ele não tem dinheiro para fazer compras”, diz. Grávida de oito meses, a jovem afirma que enfrenta dificuldades nesta terceira gestação e que às vezes não consegue levar a filha mais velha à escola. “Minha gravidez dessa vez está muito difícil, estou com muitas dores”, comenta. Apesar dos desafios enfrentados na maternidade, com os cuidados de Isabelly, Giulia e também de Emanuelle, que está a caminho, Juliana afirma que é um prazer para ela ser mãe: “Eu amo ser mãe, não vivo sem minhas pequenas”.