Caio Cunha faz balanço de governo e  comemora queda de casos de Covid-19

Covid-19. Entrando num período de calmaria, prefeito de Mogi cita a diminuição de leitos, elogia o atendimento no Hospital Municipal e diz que governo gastou R$ 16 milhões com assistência social 

O Novo

O prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Podemos), 43 anos, esteve na terça-feira (20) na Redação do jornal O Novo, onde concedeu entrevista exclusiva numa live com transmissão ao vivo pelo Facebook. Durante o bate-papo, ele fez um balanço desses seis meses de mandato e falou sobre Saúde e Pandemia/Vacinação, Assistência Social, Comércio, Infraestrutura, Obras e Mobilidade Urbana, Economia, Esportes, Segurança Pública, Pedágio na Mogi-Dutra, Desenvolvimento Industrial e Política. 

Eleito com 58,39% dos votos no segundo turno em 2020, Caio Cunha disse que governar a cidade em meio à pandemia do novo coronavírus tem sido um grande desafio que exige muita sensibilidade nas tomadas de decisões, principalmente por estar lidando com vidas, apesar de sempre se manter atento aos dados, números e evidências. “Hoje, estamos num período de calmaria, mas passamos 26 dias acima de 100% de lotação de leitos e é muito doloroso acordar e pensar: será que alguém ficou sem atendimento?”, frisou. 

Para ele, o Hospital Municipal de Brás Cubas, construído na gestão de Marco Bertaiolli (PSD), se tornou fundamental não só aos mogianos, mas a todos os moradores do Alto Tietê: “Nós o adaptamos e ele se tornou referência. Tanto que chegamos a atender cerca de 50% de pessoas de outras cidades aqui em Mogi. Foram mais de 57 mil atendimentos só de Covid-19”, acrescentou. 

O prefeito admitiu que, devido à suspensão dos atendimentos de especialidades pelo Governo do Estado, houve muitas reclamações, mas atualmente a situação está controlada e, em paralelo à questão da Covid-19, já está sendo possível diminuir a fila, que estava muito grande: “Queremos zerar a fila de exames e especialidades e, gradativamente, os hospitais municipais e estaduais já estão voltando a executar as cirurgias eletivas”, adiantou.

Com a diminuição de leitos de internação pela Covid-19, que, até sexta-feira (23), estava em 27,1% (enfermaria) e em 40,2% (UTI), a tendência é que as coisas se normalizem em breve.   

Vacinação

Com quase 50% da população vacinada, o prefeito hoje respira um pouco mais aliviado. No começo, foram muitos problemas, não havia agendamento online; e as filas eram enormes. “Criamos um sistema de agendamento caseiro e isso trouxe muitas reclamações. Mas agora já melhoramos a plataforma, ampliamos o sistema em 320%, que recebeu melhorias nos servidores, com mais memória, pois antes caia muito. Temos ainda um esquema onde as vacinas chegam e já são liberadas logo. Mas quero tranquilizar todo mundo de que todos serão vacinados e acreditamos que até dezembro toda a população já estará imunizada”, garantiu. 

Até o momento, Mogi das Cruzes já aplicou 283.667 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 212.308 primeiras doses, 61.434 segundas doses e 9.925 doses únicas. 

 Assistência Social

Segundo Caio, na área de Assistência Social, a cidade criou o programa “Mogi Contra a Fome”, que, junto ao Fundo Social de Solidariedade, atendeu mais de 13 mil pessoas, com cerca de 500 toneladas de alimentos. Mas o destaque ficou mesmo para o Auxílio Emergencial Municipal: “Foi algo diferencial e histórico em nossa cidade, tanto para atender pessoas em vulnerabilidade, quanto para as empresas do Simples Nacional (microempreendedores). Nós atendemos cerca de 32 mil famílias, ou seja, mais de 100 mil pessoas, todas cadastradas no CadÚnico. Gastamos R$ 16 milhões com auxílios, isso fora os programas criados pelos governos Estadual e Federal”, explicou.

Comércio 

Para amenizar as perdas dos comerciantes com as medidas restritivas impostas pela pandemia do novo coronavírus, o governo de Mogi prorrogou os pagamentos do IPTU e ISS e criou o Auxílio Empresarial. “Nosso polo empresarial vem dando suporte nesse momento de retomada”, disse.

Infraestrutura

Com relação à infraestrutura da cidade, Caio Cunha admitiu que não conhecia alguns pontos da cidade, tanto que faz visitas regulares aos bairros. “Foi por isso que começamos nosso governo atendendo a bairros afastados do centro. Nós invertemos a lógica e colocamos 600 lâmpadas de led no Piatã e em Jundiapeba; fizemos mutirões semanalmente em todos os bairros, com iluminação, tapa-buracos, pavimentação, limpeza. “Nosso governo preza por ouvir as pessoas para poder atendê-las”. 

Esportes    

Em ano de Olimpíadas, Mogi tem orgulho de seus atletas e, infelizmente, pouca gente sabe e conhece esses nomes. Para o prefeito, falta divulgação: “Temos uma atleta de boxe, a Graziele Jesus, 30 anos, que foi para as Olimpíadas de Tóquio; a equipe de Futsal de Mogi foi vice-campeã da Copa Paulista. Nós queremos dar destaque, não só ao basquete, mas a todas as modalidades, e não fizemos cortes de verbas, continuamos investindo, apesar da pandemia. Hoje, nós queremos que o esporte seja uma referência, atendendo todas as camadas da sociedade. Porque ele é fundamental”.