Mogi convoca idosos para segunda dose da vacina da Covid-19

Município tem cerca de 3 mil pessoas com 60 anos ou mais que tomaram apenas a primeira dose da vacina; técnicos estão ligando para agendamento   

Divulgação

A Secretaria de Saúde de Mogi das Cruzes está convocando todos os moradores que ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 ou que faltaram ao agendamento. Para auxiliar nessa busca, os técnicos do Sistema Integrado de Saúde estão ligando para os idosos para agendar a aplicação na unidade mais próxima de sua casa.

Atualmente, o município tem cerca de 3 mil pessoas com 60 anos ou mais que tomaram apenas a primeira dose da vacina. Até o momento, cerca de 400 já foram contatados e os agendamentos vão continuar no decorrer da semana. “As próprias unidades de saúde já vinham realizando essa tarefa, mas, diante do alto índice de abstenções para a segunda dose, solicitamos apoio do SIS para reforçar as convocações”, explica a secretária municipal de Saúde, Andréia Godoi.

Quem estiver em atraso também pode ligar para o telefone 160 ou efetuar o agendamento online https://vacina.mogidascruzes.sp.gov.br/ . 

Vacinas

O Plano Nacional de Imunizações (PNI) conta, atualmente, com quatro vacinas (Coronavac, AstraZeneca/Oxford, Pfizer e Janssen) em ampla aplicação no território nacional. Desses imunizantes, apenas a da Janssen obedece ao esquema de dose única e, portanto, não exige uma segunda dose para completar o esquema vacinal para a aquisição da imunidade contra o vírus SARS-CoV-2, da COVID-19. Para todas as outras, a segunda dose é obrigatória. 

A vacina Coronavac/Butantan exige intervalo de quatro semanas entre as duas doses, enquanto a AstraZeneca/Oxford e a Pfizer/BioNTech), de 12 semanas entre as duas doses. Em todos os casos, há uma previsão de data anotada a lápis no comprovante para orientação do paciente. “É preciso completar a vacinação para obter uma boa resposta imune”, explica a chefe da Vigilância Epidemiológica, Lilian Peres Mendes. 

A aplicação da segunda dose é essencial para conter a pandemia, mesmo ocorrendo alguma oscilação na data ou atraso. Isso porque vacina não protege só quem se vacina, ela também cria uma barreira na comunidade, diminuindo as possibilidades de alguém se infectar.