Vigilância em Saúde da cidade participou de fórum sobre casos de Febre Maculosa

  Na última semana, a Vigilância em Saúde de Guararema participou do “II Fórum Técnico de Febre Maculosa Brasileira da Região Metropolitana de São Paulo”. O evento foi realizado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, em parceria com a Superintendência de Controle de Endemias. O encontro teve como objetivo discutir temas muito importantes como a Situação Epidemiológica da Febre Maculosa no Estado de São Paulo, clínica e tratamento dos casos, o fluxo das notificações, atualização do conhecimento sobre a Febre Maculosa, situação das áreas com capivaras no Estado e mapeamento das áreas de risco.
A frente dos debates estiveram Dra. Ruth Moreira Leite, médica infectologista do Centro de Vigilância Epidemiológica  Dr. Marcelo Bahia Labruna, médico veterinário e pesquisador da USP e Dr. Adriano Pinter, médico veterinário e pesquisador da SUCEN, entre outros nomes.  
A transmissão da febre maculosa ocorre por meio da picada do carrapato estrela contaminado com a bactéria Rickettsia rickettsii, que ao picar e se alimentar de sangue, o carrapato transmite a bactéria pela saliva. Os principais sintomas da doença são: febre de início abrupto, acompanhada de cefaleia,calafrios, mal estar, mialgia e hiperemia conjuntival. 
Quanto às medidas preventivas, deve - se principalmente evitar que pessoas e animais domésticos transmitem por áreas propícias para a presença de carrapatos, áreas rurais, matas, cachoeiras, pastos, áreas com presença de animais, parques, beira de rios e lagoas. Deve - se também, verificar diariamente a presença de carrapatos nos animais domésticos.