Início de 2019 é marcado por tragédias no Brasil

O ano de 2019 começou com uma sucessão de catástrofes, dizem que apesar de estarmos no segundo mês do ano, a sensação é de que 2019 já chegou ao fim diante de todas essas tragédias, as convencionais retrospectivas exibidas pelas editoras de TVs ao fim de cada ano parece que já esta pronta. 
No primeiro horário da tarde de segunda-feira, 11 de fevereiro, o Brasil fica espantado pela morte do jornalista Ricardo Boechat, com apenas 66 anos, o renomado apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews, veio a óbito após a colisão da aeronave onde estava, com um caminhão que transitava pela Rodovia Anhanguera em São Paulo.
O triste anúncio de sua morte foi ao ar em meio a informações sobre o enterro dos jogadores do Flamengo e a divulgação dos trabalhos das equipes de resgate de Brumadinho. 
O triste incêndio no centro de treinamento do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu em homenagem a ave-mascote do time, na madrugada de sexta-feira, 08 de fevereiro, deixou 10 mortos. O alojamento que servia de dormitório para jovens na faixa de 14 anos sofreu com uma pane no ar-condicionado e pegou fogo. 
Dois dias antes da tragédia no CT do Flamengo, o estado do Rio de Janeiro enfrentou uma forte tempestade, dia 06 de fevereiro, em torno das 20h30 foi decretado estado de alerta em todos os municípios. A catástrofe deixou seis mortos, 186 quedas de árvores, mais de 10 pontos de alagamento, foram registradas rajadas de vento a mais de 110km/h e ainda o desabamento da ciclovia Tim Maia.
Em janeiro desse ano ainda tivemos o desastre de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, onde se rompeu a barragem da empresa Vale, 166 mortes já foram confirmadas, 160 corpos reconhecidos e 155 ainda estão desaparecidos. 
O ano de 2019 veio para passar uma mensagem, devemos aproveitar enquanto ainda estamos vivos, o Brasil ainda vive e supera essa triste página da nossa história.