Celebremos os laços da fraternidade

Ao longo da nossa vida, laços são criados com outras pessoas. O contato social praticamente exigido por vivermos em comunidade faz com que conheçamos outros indivíduos de características únicas e, em alguns casos, nos apeguemos a eles. 
Sabemos que relacionamentos, independente do tipo, são difíceis algumas vezes e sempre exigem reciprocidade. E não é diferente com a amizade. Muitos motivos podem contribuir à proximidade entre duas pessoas; por vezes, a semelhança de pensamento e ideais, mas em alguns casos as diferenças. 
Amigos, aqueles de verdade mesmo, ajudam a melhorar a vida. Estão por perto, fisicamente ou não, em todos os momentos, desde os mais felizes até os mais complicados. Pode até ser algo clichê, mas é fato. Como diria João Gilberto: “fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”. Neste caso, o amor não necessariamente precisa ser aquele ‘romântico’, afinal apenas este não nos sustenta por completo. 
Como nem tudo é perfeito, é importante estar atento àqueles que surgem em nossas vidas apenas para ‘sugar’ energias. Sim, mesmo nas amizades existem relações tóxicas, que podem afetar a saúde. Para entender o que seria isso na prática, é necessário observar se existem atitudes de algumas pessoas que nos desgastam de alguma forma, limitando o que queremos fazer ou gerando sentimentos negativos como estresse, angústia e depressão. Claramente, nesse contexto, é preciso se afastar para manter o equilíbrio emocional. 
No dia 20 de julho celebramos O Dia do Amigo e Internacional da Amizade. Vemos que esta é uma celebração importante ao notarmos que existem mais duas datas especiais com o mesmo tema. Relações tóxicas à parte, celebremos nesta semana e em todas as outras as relações verdadeiras, a cumplicidade e o amor. Que saibamos identificar quem de fato está disposto a estender as mãos e marcar presença em todo e qualquer momento da vida.