19 de Abril Resistência Indígena

Dezenove de Abril é muito mais do que um dia para lembrar, por meio de representações com vestimentas e adereços, a figura do Índio. Vemos crianças sendo enfeitadas nas escolas mesmo que elas talvez nem imaginem toda a história por trás deste povo. Os próprios adultos se limitam a conhecer a resistência que reside nesta parcela da população. A escolha do dia teve por base o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México, em 1940. No Brasil, a data foi oficializada em 1943 porém especialistas e lideranças indígenas vêm contestando sua legitimidade. Além disso, a celebração realizada em escolas e outras instituições não-indígenas é criticada por conta da evocação de um indígena genérico e folclórico, que apaga as particularidades de cada uma das diversas etnias que vivem no país. O censo demográfico mais recente do IBGE, de 2010, indica que existem 817,9 mil indígenas no Brasil de 305 etnias que falam 274 línguas diferentes. A demarcação de terras a eles, porém, tem estagnado. Em 2017, o presidente Michel Temer assinou um parecer no qual os índios teriam direito às terras "desde que a área pretendida estivesse ocupada pelos indígenas na data da promulgação da Constituição Federal", o que correspondia a outubro de 1988. Os representantes indígenas não poderiam reivindicar terras que não estavam ocupadas por eles há 30 anos. Esta é apenas uma das questões polêmicas relacionadas ao assunto. Povos indígenas lutam por mais autonomia e vivem em meio a ameaças de violência, riscos de perda de direitos em decorrência da pressão dos latifundiários, mineradoras e usinas.Apesar de toda esta carga, são vistos apenas e erroneamente como pessoas desnudas, com pinturas pelo corpo e fixas no passado.