Nos Bastidores

O dia depois do amanhã

A derrota no pleito presidencial de Geraldo Alckmin e os conflitos internos no PSDB, envolvendo João Doria, candidato do partido ao governo de São Paulo, geraram desconforto na sigla e podem resultar em uma debandada de tucanos para o PSB, caso Márcio França, ex-vice de Alckmin e oponente de Doria no segundo turno, vença o ex-prefeito de São Paulo em 28 de outubro. Uma frente do partido estuda lançar um manifesto contra o correligionário nos próximos dias.
Integrantes da cúpula de campanha de França se reuniram nesta quarta-feira (10) com membros do PSDB paulista para estabelecer uma estratégia conjunta. A cisão no estado conta com uma frente de pelo menos 30 membros do partido, entre prefeitos, deputados e vereadores descontentes com Doria, que veem o empresário cada vez mais isolado. Nesta quarta-feira (10), Doria estava sozinho em uma visita ao Hospital Municipal Nova Cachoeirinha, único evento aberto.
O apoio de Paulo Skaf (MDB) à candidatura de Márcio França (PSB) ao governo de São Paulo reforçou esta semana uma tentativa de o candidato à reeleição se desvencilhar da pecha de “esquerdista”, jogada sobre ele já desde o primeiro turno por seu adversário no segundo, João Doria (PSDB). Com a adesão do emedebista, terceiro colocado na sucessão estadual, agora já são pelo menos duas pessoas aliadas ao ex-prefeito de São Vicente com apoio declarado em Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial: a vice dele, a coronel da Polícia Militar Eliane Nikoluk (PR), também é eleitora do candidato do PSL. A estratégia é atrair os votos dos seguidores do capitão reformado (presidenciável mais votado no estado no primeiro turno), ao mesmo tempo que França anunciou na terça (8) que se manteria neutro na campanha nacional.
Tivemos também grandes surpresas em relação ao legislativo. Em Mogi, tanto Gondim quanto Junji não conseguiram a reeleição, muitos em Mogi culpam o distanciamento dos parlamentares em relação aos eleitores deixando muitos dos assuntos serem tratados apenas por assessores, que fizeram uma blindagem exagerada sobre eles. Um cuidado a ser observado pelos demais.
Grande surpresa foi o vereador Caio Cunha de Mogi que,  mesmo não eleito, conseguiu grande expressão em votos dentro de seu domicílio eleitoral, o que se repetiu com os deputados eleitos André do Prado e Marcio Alvino.