Condemat pede reunião com o Governo do Estado para ampliar número de leitos em hospitais

Ampliação de leitos no Alto Tietê se faz necessária após o aumento de 2% no número de infectados e de óbitos na região

Governo do Estado de São Paulo

Após decisão do Governo do Estado de São Paulo, que entre os dias 25 e 27 de dezembro e 1 e 3 de janeiro, proibiu o atendimento presencial em shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais, o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) pede que a população permaneça em casa.

“Não temos outra alternativa a não ser atender a decisão do Governo do Estado e pedir o apoio da população para que nos ajude neste momento evitando aglomerações. Nossa região possui muitos hotéis, chácaras de veraneio e pontos turísticos espalhados em grandes extensões territoriais, o que dificulta a fiscalização das equipes municipais”, afirma o presidente do Condemat e prefeito de Guararema, Adriano Leite.

A coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do Condemat, Adriana Martins, ressalta que no intervalo de uma semana houve um aumento de 2% no número de infectados e de óbitos na região, e que com isso, uma das grandes preocupações é com a rede hospitalar, sendo que o Consórcio tem discutido alternativas para ampliar a capacidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Um dos principais pedidos do Condemat ao Governo do Estado é para aumento dos leitos no Hospital Auxiliar das Clínicas de Suzano e no Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti, em Mogi das Cruzes. “Esperamos ter a oportunidade de uma reunião técnica com a equipe do Estado ainda neste ano para ampliar a capacidade de atendimento hospitalar”, finaliza Adriano Leite.