Mogi terá campanha do Código Sinal Vermelho para ajudar mulheres em situação de violência doméstica 

A campanha na cidade foi proposta pelo vereador Farofa e aprovada pela Câmara Municipal

Reprodução

Na sessão ordinária desta terça-feira (29), a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou o Projeto de Lei nº 7/2021, de autoria do vereador Francimário Vieira Farofa (PL), que institui no município a Campanha Permanente de Cooperação e Código Sinal Vermelho, um pedido de ajuda e socorro para mulheres em situação de violência doméstica ou familiar.

Conforme o texto, o código sinal vermelho é uma forma de pedido de socorro e ajuda, por meio do qual a vítima expõe a mão com uma marca no centro, na forma de um X, feita com caneta, batom ou outro material, se possível na cor vermelha, a ser mostrada com a mão aberta, para clara comunicação do pedido.

O protocolo básico consiste em identificar o pedido de socorro ou ajuda e ligar para o 190 (Polícia Militar) ou 180 (Central de Atendimento à Mulher).

“Nesse momento que estamos vivendo, de aumento da violência doméstica, não só em nossa cidade, mas em todo o país, vários municípios criaram suas leis. Esperamos contribuir para ajudar todas as mulheres que precisam. É mais uma ferramenta para coibir as agressões”, explicou o vereador Farofa.


Vereador Farofa / Crédito: Diego Barbieri

A proposta também autoriza o Executivo a promover ações para colaborar com o Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e com órgãos de segurança pública e associações de ajuda e combate à violência contra a mulher.

Ainda de acordo com o projeto, a campanha Sinal Vermelho teve como inspiração a campanha nacional lançada em junho do ano passado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para incentivar as denúncias.