Reflexões sobre o dia Nove de Maio; cinco anos de ausência

Nove de maio. Dia triste? Por quê? Depende de vários pontos de vista. Para o nosso principal personagem, há cinco anos foi um dia bom e esperado. Sua missão terminou entre nós, mortais, e era esperada principalmente por Ele, nosso principal personagem. Afinal, a vida aqui na Terra sempre tem um fim. Feliz, aguardado ou uma surpresa. A saída do convívio entre os mortais dá início a um novo caminho, repleto de novidades. Quais? Não sabemos… Algumas criaturas voltam para este mundo humano de várias maneiras e se apresentam das mais diversas formas. Algumas crenças acreditam em Deus, outras em nada e assim por diante. Crença: é um estado mental que pode ser verdadeiro ou falso. Ela representa o elemento subjetivo do conhecimento. Desta maneira, acreditar numa vida depois da morte humana é uma questão bastante subjetiva. Assim fica fácil dizer que o nosso amado Dr. Domingos está entre nós. Como? Em sonhos, talvez; às vezes tão verdadeiros, que ao acordar nos sentimos muito felizes por termos esse dom. Essa companhia tão agradável que nos acompanha está sempre contando estórias, exemplos de vida, orientações. São passados cinco anos da ausência terrena do Dr. Domingos Lerario, mas ele está sempre entre nós, contando suas estórias, sorrindo e contente ao ver o seu Guararema Parque Hotel ativo e acolhedor, nesta cidade encantadora que Ele tanto amou. Até breve, “Minguinho"!