Municípios já indicaram bairros para recebimento do Internet para Todos

Após uma liminar que proibia o desenvolvimento do Internet para Todos ter sido derrubada pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lúcia, o programa deve ser ser, enfim, colocado em prática em diversos municípios. A liminar em questão, dada pela Justiça Federal do Amazonas, suspendia a parceria da Telebrás com a
empresa americana Viasat para exploração do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas
(SGDC). Em função dela, diversos programas de banda larga com o uso do satélite brasileiro, entre os quais 
encontra-se o Internet para Todos, estavam parados desde abril. De acordo com o ministro de Ciência, Tecnologia,
Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, o ministério começou a retomar o Internet para Todos na semana
passada. Ele afirmou ainda, à mídia nacional, que deve ser feita implementação simultânea nas mais de 5 mil cidades que vão receber o programa. O município de Jacareí firmou termo de adesão para o programa há três meses. A administração municipal explicou que foram escolhidas localidades com áreas públicas, em regiões mais carentes e afastadas da região central da cidade. Quatro pontos diferentes serão atendidos no município: Conjunto Primeiro de Maio, Parque Meia Lua, Conjunto 22 de Abril e Chácaras Reunidas Igarapés. Quanto à implantação do programa na cidade, a Prefeitura explica que ainda não teve início. Guararema firmou o termo de adesão em março, junto dos demais prefeitos que integram o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). Ao Jornal O Novo, a Prefeitura informou que áreas indicadas para instalação das antenas foram Luís Carlos, Lambari, Maracatu, Freguesia da Escada, Cerejeira e Lagoa Nova. Com a recente retomada do programa, a administração municipal aguarda a avaliação e aprovação das áreas indicadas, bem como a definição de quantidade de antenas que serão instaladas. A Prefeitura informou ainda que os locais foram escolhidos priorizando o acesso da população onde hoje o serviço é precário, além dos prédios públicos e comerciais existentes nos bairros.