Guararema tem duas pessoas aguardando por vaga na UTI; Hoje a cidade teve a segunda morte na fila de espera

A Secretaria de Saúde afirma que buscou vaga para as pacientes nos hospitais particulares conveniados, mas devido ao estado de gravidade das pacientes, foi negada a transferência por parte da cidade que iria recebê-las

Prefeitura Municipal de Guararema

Na madrugada desta sexta-feira, 26, Guararema contabilizou mais uma morte na fila de espera por um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), na Santa Casa de Misericórdia de Guararema. Dona Alzira, aguardava há cinco dias por uma vaga na unidade, mas infelizmente, teve uma piora no quadro e faleceu por volta das 4h30. 

Na quarta-feira, dia 24, em contato com familiares de Alzira Rocha de Almeida, fomos informados que, quando a mulher se deslocou ao hospital não estava se sentindo bem e já tinha em mãos um teste laboratorial positivo para Covid-19. A família também contou que o médico que atendeu o caso aplicou remédios na veia da paciente e orientou a volta para casa com uma medicação para segurar vômito, soro e remédios para tirar dores.

A filha de Alzira, Lucineide de Almeida, relata que com o passar dos dias a mãe teve piora no quadro e então a levaram novamente à Santa Casa de Guararema. O médico que atendeu pela segunda vez, pediu exames de sangue, raio-x e deu alta para Alzira. Uma semana após a primeira consulta a mulher já se encontrava bem debilitada, então, voltaram para a Santa Casa, onde confirmaram a saturação muito baixa. Após exames e medicação a paciente foi encaminhada para Santa Isabel para fazer tomografia (exame indicado para pessoas com muitos sintomas e confirmado como Covid-19), na tomografia foi detectado que Alzira estava com 75% do pulmão comprometido. A mulher foi internada na Santa casa já respirando com auxílio de oxigênio.

Na quarta-feira, completando 3 dias na fila do CROSS (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde) a família temia que a parente fosse mais uma na estatística das vítimas da Covid-19. Perguntamos a Lucineide qual era o suporte oferecido pelo hospital, que respondeu “Eles alegam que essa fila de espera é através de uma solicitação do CROSS onde tem uma pessoa dentro da santa casa que fica cuidando disso onde existe um sistema que fica monitorando de 1 e 1 hora se tem alguma vaga disponível, se tiver ainda será avaliado o caso do paciente para saber se irá encaixar na vaga”, afirmou.

A Diretoria da Santa Casa de Guararema, informou que a situação do hospital é semelhante a de qualquer outro que seja referência para atendimentos de casos da Covid-19.

Os leitos de UTI estão com alta taxa de ocupação em toda a região, devido ao elevado número de pacientes confirmados e com complicações no quadro de saúde. A Secretaria Municipal de Saúde informou que com todos os esforços, está buscou vagas de UTI para os pacientes que estavam aguardando, tanto nos hospitais particulares, conveniados com o município, quanto pelo sistema CROSS (Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde), mas, em decorrência ao estado de gravidade das pacientes, foi negada a transferência por parte da cidade que iria recebê-las.

Vale ressaltar, que há uma semana, na última sexta-feira, 19, também na Santa Casa da cidade, outra mulher, com Covid-19, aguardou durante 15 dias por uma vaga na unidade semi-intensiva. No período a paciente ficou em um leito respiratório, mas não aguentou e faleceu ainda na fila de espera.

Por Júlia Andrade e Mirian Sarmento