Papa Francisco recebe mãe da ativista brasileira Marielle Franco, assassinada em março

Divulgação

Segundo a família, este não foi o primeiro contato entre Marinette Silva e o Papa. Dias após a morte de Marielle, o pontífice teria ligado para Marinette, após receber uma carta da filha da vereadora do PSOL, Luyara. O contato teria sido intermediado, conforme a mídia italiana, pelo ativista argentino Gustavo Vera e pelo jornalista argentino Lucas Schaerer, da ONG Alameda.