Jovem é assassinada em Guararema e agressor se suicida

Na noite de terça-feira, 05 de março, a Polícia de Guararema foi chamada até o bairro Jardim Colônia por suspeita de homicídio. A jovem estudante Cíntia de Jesus Silva, de apenas 22 anos foi morta pelo companheiro Antonio Bueno, agricultor de 46 anos, na casa onde o casal morava em Guararema.
A jovem tinha dois filhos menores de idade, uma menina de 3 anos e um menino de 5, as crianças presenciaram a morte da mãe e logo em seguida o suicídio do agricultor. O corpo da moça foi encaminhado para o instituto Médico Legal (IML) de Mogi das Cruze na quarta-feira, 06 de março, já o do companheiro seguiu para o cemitério Parque Jardim no próprio município. O caso foi registrado na delegacia de Guararema como violência doméstica, feminicídio e suicídio.
Ao falar com vizinhos próximos a vítima a Polícia Civil descobriu que Cíntia conheceu seu parceiro a mais de dois anos pela internet e a pouco mais de 3 meses tinha se mudado para a casa dele junto com os filhos. Ainda foi informado que o casal vivia brigando e os vizinhos escutavam as ameaças que eram dirigidas a ela, a vizinha de 24 anos contou que presenciou uma discussão entre o casal e que o agricultor teria dito à companheira que 'só uma bala na cabeça resolveria'.
Segundo os vizinhos, Antonio morava a mais de 15 anos no bairro, conhecido por sua tranquilidade os morados se encontram abalados com o ocorrido. O crime chocou os habitantes, se encaixando como o mais violento, até agora, do ano de 2019.
As crianças foram encaminhadas até o Conselho Tutelar da cidade e permaneceram no mesmo até algum parente ser contatado. Psicólogos afirmam que as crianças ficaram marcadas pelo acontecimento, mesmo com apenas 5 e 3 anos, o crime foi assustador e impactante para os pequenos. O ideal seria que houvesse um acompanhamento psicológico para tentar amenizar o trauma.