Marcas falam sobre a menstruação e tabus

Mais de 4 milhões de meninas não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas brasileiras, segundo a Unicef

Reprodução

No dia 28 de maio é celebrado o Dia da Higiene Menstrual. A data é uma forma de conscientização, utilizada para chamar a atenção para os tabus que cercam a menstruação, além de alertar para a pobreza menstrual, situação enfrentada por diversas mulheres no mundo inteiro.

Algumas marcas aproveitaram a data para reforçar a discussão sobre o tema, o empoderamento feminino e ações para ajudar no combate à falta de acesso a absorventes e itens básicos de higiene.

A Intimus, marca de absorventes da Kimberly-Clark, utilizará uma pulseira para simbolizar a abordagem do assunto. A peça foi criada pela ong alemã Wash United, que propôs a meta de, até 2030, fazer com que todas as mulheres do mundo tenham condições dignas durante o período menstrual e não sejam impedidas de realizar qualquer atividade. As pulseiras são compostas por 28 bolinhas, que representam cada dia do ciclo menstrual – cinco dessas bolas são pintadas de vermelho, para simbolizar os dias de fluxo.

A Pantys, marca de calcinhas absorventes, organizou um protesto digital nesta sexta-feira, 28, que contou com a participação de diversas influenciadoras. Além disso, a empresa estampou um anúncio na Folha de S. Paulo nesta sexta-feira, que apresenta um absorvente, com sangue, e um texto que explica que aquela folha de jornal pode ser usada por alguma mulher ou menina que não tem acesso a produtos adequados de higiene durante seu ciclo menstrual.

De acordo com o relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), mais de 4 milhões de meninas não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas brasileiras.