Guararema libera cadastro para vacinação de pessoas com comorbidades acima dos 40 anos

Poderão se vacinar contra Covid-19 ainda, pessoas da mesma faixa etária com deficiências ou BPC

Prefeitura Municipal de Guararema

Após receber 485 novas doses de vacinas contra o coronavírus, a Prefeitura Municipal de Guararema, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, liberou o cadastramento para vacinação de pessoas entre 40 e 44 anos com comorbidades, deficiências ou que tenham o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

De acordo com a Saúde, o cadastro deve ser feito de forma online e, no dia da imunização, é preciso apresentar um comprovante da comorbidade- exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica- além da confirmação do BPC. Para se vacinar também é necessário levar um documento com foto contendo o número do CPF (original e cópia), o Cartão Nacional de Saúde (original e cópia) e comprovante de residência atualizado (original e cópia).

O cadastro para este grupo e os demais liberados está disponível no Vacina.Digital, site no qual os cidadãos podem acompanhar o agendamento da vacinação e outras informações importantes. A administração municipal reforça que é fundamental verificar constantemente no site se há atualizações sobre o cadastro realizado.

"É muito importante que as pessoas façam corretamente o cadastro no site da Prefeitura. Esse é um sistema que tem como objetivo evitar aglomerações e otimizar o processo de imunização", afirma a secretária de Saúde de Guararema, Adriana Martins

Grupo Prioritário

Foi anunciado ainda em maio que o Governo do Estado de São Paulo pretende concluir em junho a vacinação contra Covid-19 de cidadãos com deficiências e comorbidades, incluindo também pessoas de 18 a 39 anos.

Segundo o Plano Nacional de Imunizações (PNI) são comorbidades: insuficiência cardíaca; cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndrome coronarianas; valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fistulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; doenças crônicas; diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial resistente; hipertensão artéria estágio 3; hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo; doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos); anemia falciforme; obesidade mórbida; cirrose hepática; e HIV.