Presidente da Associação Comercial de Jacareí aponta benefícios da entidade

Segundo Wael Mamoud, segurança oferecida aos associados é um ponto forte da Associação

Divulgação

Wael Mamoud é presidente da Associação Comercial de Jacareí, trabalho que realiza de modo voluntário desde 2016. O período em vigor no cargo se estende até o ano de 2019. 
A Associação Comercial é uma entidade que visa o desenvolvimento socioeconômico da cidade, além da capacitação dos associados pelo empreendedorismo e pela qualificação profissional.
Seu compromisso com o município é trazer melhorias e desenvolvimento da classe empresarial e comercial, além de gerar o bem estar do cidadão Jacareiense.
Mamoud, que está à frente da entidade, é graduado em Administração de Empresas com ênfase em Formação de Executivos,  pós graduado em nível de especialização em Administração Industrial e Administração de serviços da saúde hospitalar e possui MBA em Administração Executiva. 
À redação do O Novo, o presidente falou sobre a associação, de que modo ela ajuda o associado e pontos de vista acerca de temas pertinentes, como o Empreendedorismo.
 

HOBBY: "Dirigir"
Um lugar: "Líbano"
um amor: "minha esposa
não vive sem: "a família"
o que te define: "Amor ao próximo"
momento inesquecível: "o nascimento da minha primeira filha" 
 

De que modo a Associação Comercial ajuda o desenvolvimento socioeconômico de Jacareí? 
"Hoje, com o passar do tempo, as entidades se atualizaram e o foco da associação passou a ser a proteção ao crédito. Os mecanismos que existem no mercado para que o comerciante busque se desenvolver são muitos e isso tirou um pouco a força da associação na questão de envolvimento junto ao comerciante. Grandes redes que não pertencem à associação entraram no mercado e também muitos comércios, inclusive da internet, sobre os quais a entidade não tem um potencial, e isso em determinado momento enfraqueceu o envolvimento em relação ao mercado do comércio em geral. Portanto, o atual foco da Associação, dentro de seu estatuto, é o de proteção ao crédito e desenvolvimento de relacionamento municipal, ou seja, com o poder público, e demais entidades."

Quantos associados a Associação Comercial de jacareí tem e o que é feito para aumentar este número?
"Hoje temos em torno de 365 associados ativos. Em relação ao aumento no número, isso se tornou relativo. Na situação que passamos desde 2015, 2016, tudo que é custo as empresas e comércios cortaram, então hoje, aquele que tem interesse de ter pesquisas em relação ao crédito e em ter vínculos com a associação, nos busca. Mas como eu disse, os serviços da internet, que estão ao alcance de todos hoje, acabou tirando o poder de muitas instituições em relação a isso."

Quais serviços a Associação Comercial oferece aos associados?
 "A Associação Comercial de Jacareí tem um ponto forte que é a segurança. A entidade espalhou mais de duzentas câmeras de monitoramento pelo município, Centro e locais com comércio, que dão suporte para a Polícia Civil e Militar resolver alguns crimes que acontecem. Essa é uma forma de dar mais tranquilidade e segurança ao associado no dia a dia de trabalho. Temos uma atuação direta com o poder municipal, com relação a conselhos e atuações que desenvolvem a cidade. A busca é defender os associados e  munícipes de modo geral, pois o benefício das causas vai para toda a população. Temos nossas ações anuais com os associados, em datas comemorativas, quando o setor fica em alta, e ações beneficentes que envolvem arrecadação de alimentos que são distribuídos a entidades filantrópicas da cidade."

"A entidade espalhou mais de duzentas câmeras pelo município, no Centro e em locais com comércio"

De que modo o senhor vê a questão do Empreendedorismo em Jacareí como forma de sair da crise? Acha que ainda há uma crise da qual é preciso sair? 
"Nós vivemos a crise desde 2015, mas por incrível que pareça no início deste ano ela “mostrou sua cara” de maneira mais forte, que impactou em muitos negócios, comércios e indústria. O mais importante para atuar no comércio e na indústria é o crédito e em vez de ficar mais barato, está ficando mais caro, mesmo que a taxa Selic esteja no menor patamar dos últimos 20 anos. Então você vai procurar saber sobre os juros dos bancos e são muito altos. Isso prejudica o Empreendedorismo. Para empreender você precisa ter os recursos em seu alcance, atitude, planejamento e requisitos como o financeiro, que é o mais importante. Nós temos nas novas gerações esse espírito empreendedor, que inclusive está sendo ensinado nas escolas, mas ainda falta o apoio maior, que é do Governo. Por um lado ele fala que apoia novos empreendimentos, por outro sentimos que falta algo a mais para isso, que no caso é a tranquilidade para que a gente consiga desenvolver essa ideia."